Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Reino Unido: razões de um fracasso provisório

» Óleo nas praias: a tragédia tem a marca Bolsonaro

» O cimento familiar que faz A vida invisível

» Manifesto Feminista por uma Renda Cidadã

» Cinco livros para entender a polícia brasileira

» Fernando Meirelles vê Dois Papas e igreja em crise

» Em busca da funda de Davi

» Outras Palavras prepara nova travessia

» Argentina: o que esperar de Fernández e Cristina

» 2019, o ano do Pibinho do Guedes

Rede Social


Edição francesa


» La grande mystification des fonds de pension

» Cinq leviers pour l'emploi…

» L'instinct de résistance des Réunionnais

» Comment la pensée devint unique

» Résister à l'insécurité sociale

» La pêche, une guerre mondiale ignorée

» L'homme et les robots

» Le crépuscule de la raison

» Mystiques violentes et stratégie non violente

» La pêche doit être gérée à l'échelle mondiale


Edição em inglês


» Scotland decides

» UK's austerity election

» December: the longer view

» ‘No one was listening'

» Shattering the conspiracy of silence

» This must be called murder

» Bolivia's coup

» Algeria's massive movement for change

» Islamists make common cause with the Hirak

» Grenfell's untold story


Edição portuguesa


» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»

» Assinatura de 6 meses: só 18 €

» Golpe de Estado contra Evo Morales

» Será que a esquerda boliviana produziu os seus coveiros?

» A era dos golpes de Estado discretos

» Pequeno manual de desestabilização na Bolívia

» No Brasil, os segredos de um golpe de Estado judiciário


Comentários sobre esse texto:

Trabalhar mais, para ganhar menos

Uma parte do texto me chamou bastante atenção:

"O segundo postulado consiste em dizer que não se pode mexer na distribuição das rendas. Ora, assim como os salários, os dividendos são um elemento da determinação dos preços: um aumento dos salários pode, perfeitamente, ser compensado por uma baixa dos benefícios financeiros, de tal forma que a competitividade permaneceria imutável. Portanto, uma outra política salarial é possível. Essa deve ser coordenada no nível europeu e acompanhar o repasse dos rendimentos financeiros para os salários - contrariamente ao que ocorre há mais de duas décadas."

O capitalismo é uma serpente que engole sua própria calda. O processo desigual e combinado sempre gerará uma má distribuição de renda. Os dono do capital vão realmente distribuir seus benefícios finaceiros (lucro) com os empregados???
Isto seria a materialização da Utopia!!!


Luciano Machado
2007-05-01 03:14:37

Trabalhar mais, para ganhar menos

Vemos que as mulheres, ainda hoje, sofrem com as desigualdades salariais e continuam ganhando menos que os homens, até mesmo nos países mais desenvolvidos. E no Brasil essa desigualdade é muito maior, como se vê no nosso cotidiano.


Elaine
2007-05-01 02:57:52

Trabalhar mais, para ganhar menos

Será que garantir o salario mais alto de apenas aqueles que já estão trabalhando é a solução? Será que haverá a formação de novas empresas, se o salario mínimo for de 1500 euros? Quantas vezes um empregador pensará para contratar mais um funcionário? Será que uma grande empresa escolherá ficar num país com regras tão estritas ou transferirá sua produção para outro país menos estrito? Estas perguntas devem ser discutidas para chegarmos a uma conclusão.


Bruno Zelinski
2007-04-30 23:24:47

Trabalhar mais, para ganhar menos

Leitura oportuna, máxime quando os defensores da política neoliberal buscam convencer a população de que no Brasil se há empregos de menos é porque há benefícios de mais. Pregam a falácia de que a inexistência de direitos trabalhistas mínimos, abriria espaço para um boom de contratação, portanto, é o trabalhador formal o responsável direto pelo desemprego do seu vizinho.
O princípio básico da livre negociação entre duas partes, é o equilibrio entre elas. Partes desiguais não negociam, uma impõe, a outra aceita.
O texto, claro e objetivo, alerta para essa luta pelo lucro desenfreado dos meios de produção corrente na Comunidade Européia. O que diríamos nós das bandas do Mercosul?


Jovaniel
2007-04-30 22:41:49

Trabalhar mais, para ganhar menos

Grande novidade!!! Quem é assalariado sente essa desigualdade brutal na pele há muitos anos ... deixo aqui uma pergunta: como é que podemos nos qualificar para conseguirmos o tão sonhado trabalho estável e bem pago se nossos salários atuais não permitem que façamos isso???
Já perdi as esperanças... jamais sairemos desse circulo vicioso que se chama neoliberalismo.


Mariana
2007-04-30 22:17:53

Trabalhar mais, para ganhar menos

quem não estiver satisfeito com seu salario, por favor monte uma empresa.....



2007-04-30 21:43:10

Trabalhar mais, para ganhar menos

E acompanhando esta lógica vem a reboque a destruição do planeta. O neo capitalismo esta garantindo a uma pequena parcela da população a oportunidade de sentar-se em sua montanha de dinheiro e assistir a degradação do mundo e dos homens.


Sonia Lucia
2007-04-30 21:35:55

Trabalhar mais, para ganhar menos

Pois é , graças a essa maldita crença neoliberal nos pagamos por outros serem mais ricos e nós trabalhamos cada vez mais para ganhar cada ves menos



2007-04-30 14:33:05

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.