Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Três medidas de emergência contra a crise social

» Shaheen Bagh: muçulmanas contra a xenofobia na Índia

» Crise estrutural no ocaso do capitalismo

» Quatro ameaças à Humanidade e uma saída

» A Renda Cidadã e a reinvenção do dinheiro

» Coronavírus: já tínhamos sido avisados

» Ou desaceleramos ou morremos todos

» Pandemia desnuda a Saúde falida nos EUA

» Assim Guimarães Rosa viu nossas águas e gente

» Sopram novos ventos de revolta contra o Uber

Rede Social


Edição francesa


» Ravages cachés du sous-emploi

» Quand l'OMS épouse la cause des firmes pharmaceutiques

» Les confidences de M. Tietmeyer, architecte de l'euro

» Des services publics garants de l'intérêt général

» La citoyenneté au bord du gouffre

» À nos lecteurs

» Voyage en terres d'utopie

» Revenu minimum ou « deuxième chèque » ?

» Sur les voies du partage

» La télévision, les films et la conjoncture


Edição em inglês


» The world rediscovers Cuban medical internationalism

» Iran in the time of corona

» Covid-19: a London diary

» When viruses become pandemics

» Bringing the state back in during Covid-19

» ‘LMD' on your tablet

» February 2020

» March 2020

» Lessons for the UK deployment to Mali

» Find LMD


Edição portuguesa


» Edição de Março de 2020

» Um Brexit para nada?

» A precariedade não é só dos precários

» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…

» As marcas do frio

» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?


Comentários sobre esse texto:

Novo mosaico das resistências mexicanas

“-Pobre México. Tão perto dos EUA, tão longe de Deus!” Essa frase do então presidente Lázaro Cárdenas, em 1936, continua atual. Díficil para uma esquerda se organizar num país que por muitas décadas foi o que se pode chamar de ditadura civil, um monopartidarismo na prática. Figuras como Salinas e Fox enterraram o que restava do país - um dos mais belos do mundo em riquezas arqueológicas - e Obrador, por sua vez, é oriundo do PRI e dele não há muito o que se esperar. Não é possível nem falar em traição, nesse caso. A chave para o ressurgimento da esquerda real e combativa porque democrática, está em Chiapas, na experiência dos caracóis. Está agora também despontando em Oaxaca. Viva México, con Zapata, Villa y Marcos!!


Cumplidor
2007-05-05 00:38:48

Novo mosaico das resistências mexicanas

A luta e a resistência da gente mexicana é arrebatadora, mas a razão retém o meu entusiasmo e simpatia : dentro dos próximos anos nenhum país vizinho dos Estados Unidos chegará à esqueda. O processo sul-americano, com Chavez, Evo Morales e os que de certo modo mais os apóiam do que combatem - a exemplo do nosso Lula- foi um cochilo do capitalismo que já se refez do susto e, não sejamos ingênuos,já retomou suas providências.A modesta esquerdista, Segolene, não será eleita na França.


Inez
2007-04-30 02:00:13

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.