Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 29 de novembro de 2021

» Breve nota sobre a futilidade do sucesso

» Paulo Freire e a aposta na comunicação libertadora

» Pochmann: do colonialismo mental ao tecnológico

» 26 de novembro de 2021

» Mundo em desencanto: a alternativa do Comum

» Da tabelinha futebol e literatura sai gol de letra

» A potente imaginação política do Teatro Legislativo

» O tempo de tecer comunidade

» Somos todos cavalos

Rede Social


Edição francesa


» Mirages verts et sobriété californienne

» Harry Potter expliqué aux parents

» Revendications et occupations en mer de Chine méridionale

» Le Vietnam

» De la décolonisation à la troisième guerre du Vietnam

» Diaspora vietnamienne

» Vietnam, comparaisons régionales

» La libération inachevée des Afro-Américains

» L'apparition d'un nouveau type d'homme

» Une flammèche obstinée a embrasé la Guadeloupe


Edição em inglês


» Iraq's great divides

» China is open for investment

» Colonial accountability in Niger

» In search of luxurious communism

» November: the longer view

» The carbon balance

» CO2 emissions around the world

» What's in a phone?

» If only Assange had been Navalny

» India's silent but deadly killer


Edição portuguesa


» Edição de Novembro de 2021

» O tecto de vidro europeu

» E a Grécia volta a ser exemplar

» Edição de Outubro de 2021

» Um império que não desarma

» Convergir para fazer que escolhas?

» O mundo em mutação e o Estado - em crise?

» Edição de Setembro de 2021

» Transformação e resiliência

» O caminho de Cabul


Comentários sobre esse texto:

A possível Revolução Energética

Parabens ao Greenpeace. É preciso uma conscientização em massa, para que, cada um faça sua parte. Muitos ainda não estão encarando o problema ou fingem não ver, mas é evidente as mudanças climáticas em todo o planeta. Vamos colaborar...cada indivíduo faz a sua parte.


Site: Revolução Energética
EXTREMA ON LINE
2007-09-21 13:28:45

A possível Revolução Energética

Sinto muitíssimo, mas não há consenso científico permitindo dizer que um aumento até 2 graus celsius seria suportável. Muito pelo contrário. James Hansen, perito da NASA em questões ambientais, diz claramente que a partir de um aumento de 1 grau, passaremos a ter um outro planeta, no qual não sabemos se a civilização tal qual a conhecemos será possível. Outra coisa é que não existe aumento de 2 graus. A partir de um tal aumento, torna-se inevitável um processo de retroalimentação do esquentamento. Ao despertar a bomba temporal do pergelisol siberiano, não há como controlar níveis de aquecimento.


emerson da silva
2007-08-23 03:53:24

A possível Revolução Energética

É um comentário sóbrio sobre o processo histórico do planeta Terra e do homem no planeta, na exploração doentia e gananciosa da natureza,por parte de alguns, que está colocando em risco a sobrevivência humana enquanto espécimen e das demais.
Sem dúvida sem energia não há desenvolvimento, mas sem habitat não há vida.
A questão energética tem que ser equacionada, condições tecnológicas tem, como várias fontes de geração de energia, como as que foram citadas neste texto e outras formas, como as ondas de rádio, ondas de televisão, energia radiante, o ruido do Big Bang e tantas outras maneiras, que o homem irá descobrir ainda, basta haver incentivo, quebrar a barreira imposta pelas indústrias, que impedem o avanço nas pesquisas neste setor, é questão de monopólio, oligopólio.
Não dá para ficar somente na cosntatação platônica, é preciso sair da caverna, é o arquiteto planejando edificios e condomínios com geração de energia eólica, solar, de rádio, de biogás.
É o professor desalienando os estudantes sobre as formas de energia.
É o político retrógrado e corrupto deixando de ser eleito, é a população fazendo boicote aos produtos das grandes empresas poluidoras, enfim, é um trabalhão, mas é possivel.
É uma postura que transcende a questão esquerda X direita, capitalista x não capitalista, é a sobrevivência do ser humano.


Jose Luiz Ballock
2007-07-31 16:02:18

A possível Revolução Energética

Tudo ou quase tudo dito nesse material, já foi teorizada a uns 30 anos atrás por Alvin Toffler no livro " A terceira onda", mas fora isso é uma bom material.


Vinicius
2007-05-13 22:23:24

A possível Revolução Energética

O texto trata objetivamente de uma questão sócio cultural, além de política ou antes até.
A composição de uma perspectiva individual disposta a alavancar o cenário político de tomada de decisões só poderá ser estabelecida caso os gestores do processo de formação de consensos ou de debates culturais como a mídia, classe artística, religiosos, organizações sociais e científicas trabalhem unidas na criação, distribuição e discussão de conteúdos mais que educativos, semssibilizadores e mobilizadores de uma retomada mundial da reflexão e do engajamento por um novo paradigma de sociedade que passe pela reforma do estado e do capital.

A disposição de muitos irá superar a indisposição de poucos quando os muitos além de dispostos estiverem convictos e decididos a impor uma real nova ordem.

A feliz conclusão de que existem os recursos tecnológicos e econômicos para esta [R]evolução energética, deve considerar com maior enfase o poder da energia social e da “resiliência social” como fator preponderante.

É fato que baseada na busca de conforto e comodidade toda a sociedade humana cada vez mais se rende ao ideário capitalista e esse, o do conforto, é um apelo absolutamente forte que grandes mentes da publicidade a serviço da industria trataram e tratam de incutir nas populações de cada vez mais paizes.

A classe política vai atraz em um jogo de interesses irracivel que denota a fragilidade cultural dos governantes e a força do engenho intelectual que é o capitalismo e o neoiliberalismo após o consenço de washinton. Entretanto instituições como greepeace apesar de absolutamente pertinentes, são infelizes na construção de uma base de apoio ideológico e cultural para suas propostas.

Enquanto o mundo da industria se volta a mais de um século para o convencimento de individuos em todas as classes sociais, adaptando suas plataformas e linguagens em busca da geração de um concenso global sobre a sociedade de consumo, os ambientalistas por falta de estrutura ou de visão, operam numa ótica de tentar sózinhos pressionar governos e empresários no sentido de mudanças de práticas que são apoiadas pela maioria da sociedade humana.

A falta de observação do complexo teor social do estado de coisas em discussão, colocando políticos e empresários como unicos ou principais steack - holders do processo de mudança, é uma falha que pode tornar todo o relatório do greenpeace letra morta.

A divulgação de “dados alarmantes” em jornais e revistas pode gerar mais alienação da pessoa comum do que força motriz para mudanças.

Falo na condição de cidadão do mundo e brasileiro, agente social, educador, articulador político e artista, na minha perspectiva a evolução energética passa pela senssibilização do individuo sobre sua parcela de responssábilidade sobre o passado e também sobre o futuro.

Isso nós vamos conseguir quando ampliarmos nosso investimento em um novo conceito de cultura, aplicado além da ética e da estética a uma lógica social de sustentabilidade global e de preservação da perspectiva de futuro não apenas da espécie humana como de todo o planeta.

Essa lógica poderá gerar concensos que acomodem a necessidade de perdas de condições confortáveis do atual sistema de consumo em troca de uma viabilização da visão de posteridade e coesistencia humanas.

Assim talves responsábilidade seja entendida como uma prerrogativa de sociedade como hoje é considerada o consumo e não um diferencial social, individual ou empresarial na busca de destaque de ‘status’ no processo competitivo. carlos.olhodagua@terra.com.br


Carlos A. P. Moraes
2007-05-13 05:30:10

A possível Revolução Energética

Adorei a matéria pois ela relaciona corretamente a necessidade de um novo modelo energético com a também urgente necessidade em se diminuir a desigualdade social no mundo, pois ninguém consegue pensar em meio ambiente de barriga vazia e só vendo miséria a sua volta, enquanto poucos privilegiados levam uma vida esbanjadora consumindo os recursos do planeta. Sou professor de Biologia na rede pública de ensino e convivo com a miséria de perto. Muitos de meus alunos não têm sequer o que comer antes de ir pra escola. Acredito que o mundo só vai começara melhorar no dia em que as crianças, independente da classe social em que se encontrem, e a educação forem prioridade, pois são os jovens de hoje que farão o futuro de amanhã.


Eduardo da Silva Pinto
2007-05-05 23:54:06

A possível Revolução Energética

Sempre aprecio as notícias publicadas no Le Monde diplomatique.São de grande valia para o meu trabalho em Geografia.
Os comentários sobre a (R)evolução energética foram muito esclarecedores.
Atenciosamente, Regina Gloria.


Regina Gloria
2007-04-21 17:51:14

A possível Revolução Energética

Adorei a explanação sobre Revolução Energética. Eu venho acompanhando este assunto e entendi perfeitamente a questão. Mas é preciso divulgar mais para todos, para que a pressão do povo se faça junto às autoridades mundiais. No caso do Brasil percebo que há mais sensibilidade para isto do que em outros países. Vamos abraçar esta causa no nosso dia-a-dia e em todas as oportunidades que surjam! Divulgar as alternativas para que as tragédias anunciadas não aconteçam é dever de todos nós!


Site: Revolução Energética
Ester Pereira Pontes
2007-04-19 06:53:45

A possível Revolução Energética

Li com atenção o testo apresentado, até achei meio complicado, acho que o mesmo deveria ser dito na forma polular, mas entendi o recado, e oque mais preocupa é qual a atitude que o povo está tomando quanto a isto, na verdade estamos fechando os olhos e não estamos fazendo a nossa parte tambem, nada melhor seria uma concientização para o povo doque está por vir, e no que eles podem ajudar. Apenas acho que continuamos ignorante, e não fazemos a nossa parte. Todos nós estamos acabando com a Natureza e não estamos vendo, nós brasileiros então como somos porcos, quem sabe se um dia parecemos todos de sujar a Terra e envenenar a água, aprender a reciclar o lixo isto ajudaria muito. Eu to fazendo a minha parte, e gostaria que o povo fizesse tambem, recliclo meu lixo com maior orgulho, e tenho vergonha de jogar uma ponta de cigarro no chão. Agora fica uma pergunta, se o povo recolhecer que está errado e agir, garanto que as autoridades tabem o fará. E aí povo do mundo todo, pricipalmente do Brasil, vamos começar a limpar oque estamos sujando, vamos parar de envenar a Terra, e mostrar para nossos cientistas, e dirigentes que estamos fazendo a nossa parte, tá em cada um de nós salvar este planeta, É DA TERRA QUE TIRAMOS NOSSO ALIMENTO, E DA ÁGUA QUE MATAMOS NOSSA CEDE. Acorda pessoal e veja que estamos fazendo. Desculpe a sinceridade, e aí Rede Globo que tal uma novela ecologica, ensina o povo a agir, eu sou só um, e vcs podem percorrer milhões de casas, faça algo de bom e mostre para nos ensina a ser mais humano. Tenho muito a falar ainda, mas são poucos que gostam de ler. A mensagem tá dada. Isto foi escrito de coração, se tive muitos erros de portugues me desculpe, e espero apenas que entendão e acordem para uma realidade.


Paulo Roberto de Oliveira Branco
2007-04-19 06:36:25

Conscientização é o primeiro passo para a realização das mudanças

Gostaria de compartilhar com todos que identificam-se com esse artigo um web site dedicado a espalhar idéias inovadoras, fortemente relacionadas ao tema em questão.
Todo o conteúde está em inglês, mas se voce tem domínio do idioma não deixe de assistir aos vídeos que lá aparecem.
A proposta é espalhar idéias inovadoras e todos podemos e devemos contribuir com a criação de massa crítica que leve à quebra de paradígmas e à mudança para uma nova forma de vida.
Parabéns pelo artigo!


Site: TED (Technology, Entertainment, Design)
Ruben Vargas
2007-04-19 06:28:40

A possível Revolução Energética

Impressionante ...quando a intenção é boa, os "caminhos" aparecem !!!

Salve o Greenpeace!!!


Angela Varella
2007-04-19 04:52:57

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.