Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Uma semana contra o Capitalismo de Desastre

» Na Argentina, algo além de Macri começa a cair

» Transportes: a atualidade da Tarifa Zero

» Aos super ricos, os super genes?

» A Ideologia da Mineração está em xeque

» Orçamento 2020 expõe o Bolsonaro das elites

» A esquecida questão da desigualdade energética

» Crônica de Cuba, em incerta transição

» “Direitos Já”: Uma perigosa contradição

» Cinema: Espelhos deformantes

Rede Social


Edição francesa


» Libye, l'appel du devoir

» La gauche française bute sur l'Europe

» Fédéralisme à l'allemande et évolutions politiques

» « Métro, boulot, tombeau »

» Plus haute sera la prochaine tour

» Le Media Lab aux avant-postes du cybermonde

» Echec à la corruption au Brésil

» Les beaux jours de la corruption à la française

» Parler français ou la « langue des maîtres » ?

» Au Portugal, austérité et contestation


Edição em inglês


» The logs of war

» Benjamin Netanyahu, best friend of the far right

» September: the longer view

» Afghan peace talks: Trump tweets, Taliban fights

» An inexhaustible myth in times of extreme adversity

» What happened to social solidarity?

» Sudan: conflict, violence and repression

» Russia's appointed billionaires

» Another end is possible

» Arms sales: the Swedish model


Edição portuguesa


» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019


Comentários sobre esse texto:

Doce ilusão...

Parece-me utópico crer que as colônias mennonitas do Paraguai possam um dia vir a modificar drasticamente a estrutura econômica e social que aflige aquele país.
Haja visto que, em 80 anos de história, as colônias mennonitas causaram pouco impacto em tal estrutura, e jamais se importaram em atuar marcantemente para tentar tal mudança (é aqui o caso de se perguntar: eles desejariam tal mudança?), é pouco provável que, no futuro, algo venha a ocorrer por esta parcela da sociedade paraguaia que, historicamente, sempre optou por calar-se e seguir sua vida de forma o mais independente possível das questões nacionais. As colônias mennonitas passaram indiferentes à Guerra do Chaco, à ditadura paraguaia (ressaltando-se, aqui, os 35 anos da ditadura de Alfredo Stroessner), o histórico nacional de corrupção, e, recentemente, as turbulências econômicas pelas quais o país tem passado, com a abertura indiscriminada das fronteiras ao capital estrangeiro. Creio ser no mínimo desanimador aguardar que justamente os mennonitas tomem em suas mãos a responsabilidade de modificar a parca estrutura paraguaia.


Rafael Furlan
2006-09-27 20:44:41

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.