Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Edição de 3 de junho de 2020

» Boaventura: as hierarquias que estão em xeque

» Quando a razão cínica toma a Ciência

» Sobre as boiadas que passam

» Uma inovação amazônida: o Geojornalismo

» Edição de 2 de junho de 2020

» O capitalismo ensaia sua distopia espacial

» Ultraliberais buscam sobreviver a seu desastre

» Regina, Jair e a manipulação da espontaneidade

» Não peçam o fim dos levantes, diz Alexandria Ocasio-Cortez

Rede Social


Edição francesa


» Sur le toboggan de la crise européenne

» Bouée pour la Grèce, béquille pour l'euro

» Faust et l'alchimie capitaliste

» Indétrônables fauteurs de crise

» Comment la droite américaine exploitait les émeutes

» Les Républicains peuvent-ils tirer parti des émeutes de Los Angeles ?

» Les États-Unis, une nation née dans la brutalité

» Un débat intellectuel en trompe-l'œil

» Le Texas en armes contre le confinement

» Shaw ou l'engagement ironique


Edição em inglês


» June: the longer view

» Another ‘Europeanisation'

» Miami: flood risk and development

» Texas opens again for business

» US in the spring of the pandemic

» Florida's flooded future

» Oman struggles to stay neutral

» Syria's quiet return

» UK coexists with coronavirus

» Austerity is the killer


Edição portuguesa


» Edição de Maio de 2020

» Defender os trabalhadores

» Todos crianças

» Há um problema com a representação jornalística da violência doméstica

» Chile, o oásis seco

» Edição de Abril de 2020

» O tempo é agora

» Achatar as desigualdades

» O olhar dos artistas

» Assine por 3 meses (€10) ou 6 meses (€18)


Comentários sobre esse texto:

Como Washington atiça o Irã

Talvez o Irã persiga dominar a tecnologia nuclear apenas como instrumento de dissuazão, afinal está cercada por todos os lados de nações que tem grandes arsenais atômicos. E nada garante que uma mudança de regime possa provocar uma postura diferente em relação ao domínio da tecnologia de obtenção de combustivel nuclear. O fato é que o Irã se sente ameaçado pelo estado de Israel possuir estes armamentos e a conduta das potências ocidentais em relação ao oriente médio está mais diretamente ligado ao petróleo que a democracia e os direitos humanos.


Nilton C. Porphirio
2007-11-04 15:31:03

Como Washington atiça o Irã

bom a política de provocar é conhecida e já derrubou muita gente boa e também teve que engolir : cuba e vietnã;mas veja bem é discutivel e estranho que dois pilares do bush estejam se estranhando quando são muito afinados e amarrados aos mesmos interesses ambos trabalharam juntos pela política do bastão e ganharam juntos com a intervenção no iraque e não seria diferente agora no irã ou pérsia,o assunto mais delicado agora é resolver o imbróglio com os turcos-que estão muito irados-por se sentirem atirados às feras por um ¨antigo¨parceiro de idéias e armas,e em segundo lugar mas não menos importante o congresso está reticinte em apoiar qualquer atitude do ¨menino¨bush,enquanto não ficar esclarecido as causas e consequências,da derrocada militar e o alto custo em baixas humanas,no que seria um passeio.


hilson mergulhão breckenfeld filho
2007-10-16 14:50:22

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.