Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Reino Unido: razões de um fracasso provisório

» Óleo nas praias: a tragédia tem a marca Bolsonaro

» O cimento familiar que faz A vida invisível

» Manifesto Feminista por uma Renda Cidadã

» Cinco livros para entender a polícia brasileira

» Fernando Meirelles vê Dois Papas e igreja em crise

» Em busca da funda de Davi

» Outras Palavras prepara nova travessia

» Argentina: o que esperar de Fernández e Cristina

» 2019, o ano do Pibinho do Guedes

Rede Social


Edição francesa


» Paradoxale modernisation de la Chine

» La grande mystification des fonds de pension

» Cinq leviers pour l'emploi…

» L'instinct de résistance des Réunionnais

» Comment la pensée devint unique

» Résister à l'insécurité sociale

» La pêche, une guerre mondiale ignorée

» L'homme et les robots

» Le crépuscule de la raison

» Mystiques violentes et stratégie non violente


Edição em inglês


» Scotland decides

» UK's austerity election

» December: the longer view

» ‘No one was listening'

» Shattering the conspiracy of silence

» This must be called murder

» Bolivia's coup

» Algeria's massive movement for change

» Islamists make common cause with the Hirak

» Grenfell's untold story


Edição portuguesa


» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»

» Assinatura de 6 meses: só 18 €

» Golpe de Estado contra Evo Morales

» Será que a esquerda boliviana produziu os seus coveiros?

» A era dos golpes de Estado discretos

» Pequeno manual de desestabilização na Bolívia

» No Brasil, os segredos de um golpe de Estado judiciário


Comentários sobre esse texto:

Tão bárbaros como Bush

trata de texto parcial, provavelmente escrito por quem pretente deixar na obscuridão ou desviar a atenção do racismo praticado pelos israelenses contra os árabes. Não caberia também a


Site: dfdg
ghkgjk
2009-03-05 02:14:26

Tão bárbaros como Bush

O autor é um conhecido mitómano. Nunca terminou os estudos de antropologia e o cv dele é uma ilusao. Nao passa de um filho de papai que a pesar dos anos continua falando como se fossem certezas de fatos que apenas conhece e sempre impartindo doutrina.



2008-10-17 14:11:29

Tão bárbaros como Bush

O islamismo sufi que é mais moderado está sendo suprimido junto com sua cultura gracas ao financiamento da arabia saudita. O wahabismo saudita se espalha pelo planeta e destroi as ricas culturas muculmanas de outros paises, trazendo consigo a intolerancia com cultura local e a tudo q difere de sua particular interpretacao do islã.


Fábio
2007-10-13 14:43:15

Tão bárbaros como Bush

Muito importante esse artigo , nao somente a denuncia da tentativa de um imperialismo arabo-muçulmano, mas também sobre a aculturaçao dos povos em questao e do consequente empobrecimento cultural do mundo.
Resta a dizer que nao é somente na Africa que se passa essa tentativa de dominio dessa cultura totalitaria (embora la seja de uma forma totalmente barbara), pois um grande movimento proselitista muçulmano acontece neste exato momento em paises europeus e latino-americanos, de uma forma organizada,mas também pela propria naturesa dessa religiao que so se justifica diante do fato de angariar adeptos... na França o fato ja està sendo considerado como calamidade e em algumas regioes a populaçao do païs ja conta com 30% de muçulmanos, segundo estimativas.
Penso que é mais que tempo de parar de pensar o povo arabo-muçulmano como vitimas, pois de vitimas eles nao tem muita coisa,jà que ocuparam a metade do mundo em diversas épocas (oriente médio,europa, africa do norte), sem esquecer que foram os arabes que inventaram a escravidao...


Veruska
2007-10-13 03:34:08

Tão bárbaros como Bush

os árabes não são barbáros e não se pode confundir movimentos radicais ainda que de grande proporção com a inquestionável tolerância e sabedoria em partilhar informações e aprendizados,em todo o mundo existe esse fluxo de imposição às idéias de um grupo ou outro que se sustentam por um período mas não prevalecem sobre o histórico da população livre e autônoma;alemanha,japão,itália formam exemplos de ascenção de grupos mometâneos que quase solaparam civilizações seculares;nada,absolutamente nada se compara ao mau caratismo do bush,que mantém negócios com os sauditas e nega o direito de ir e vir por crendice e egoísmo,seus negócios com os sauditas vão de vento em popa,mas o cidadão comum tem sua vida devassada sem razão,o momento para a família bush não está propício pela razão entre custo e benefício já que o petróleo está perdendo espaço para formas alternativas de combustíveis e o número de americanos sacrificados por nada faz lembrar a somália e o vietnã;ainda que extremistas surjam nada será paraecido com bush family e bussines partners,nem adolf hitler foi tão longe e mesquinho.


hilson mergulhão breckenfeld filho
2007-10-11 21:41:17

Tão bárbaros como Bush

Achei muito interessante o artigo. Parcial ou não, nos dá a chance de ouvir a história de um outro ponto de vista, e isso pode ser muito enriquecedor se soubermos aproveitar. Muito bom também é ver a repercusão de um texto como esse. Penso que somos tão egoístas que nos preocupamos mais em buscar explicações p/ a expressão "seita evangélica" do que verdadeiramente debater o tema da intolerância. Busquemos enriquecer o debate e não a INTOLERÂNCIA. Já seria um bom começo, vocês não acham?!?


SILG
2007-10-11 21:35:01

Tão bárbaros como Bush

Creio que pensar no problema como sendo responsabilidade deste ou daquele povo ou mesmo pensar que a vítima é deste ou daquele povo, é pensar de maneira pequena e limitada. Nós podemos mais.
O problema é do Ser Humano como um todo, somos todos algozes e ao mesmo tempo todos somos vítimas.
Resolvamos todos, os problemas que trazemos dentro de nós, todo o resto será consequência.


Régis Piovesan
2007-10-11 13:24:49

Tão bárbaros como Bush - O Racismo é mundial !!!

Isso mesmo: "o racismo é praticado no mundo todo". Quando não o é de uma forma o é de outra forma, mas não deixa de ser racismo quando analisado sob severa impar
cialidade. Repito: NO MUNDO TODO SEM NE-
NHUMA EXCEÇÃO ! Hipocrisia afirmar o contrário. Desde menino, tenho nos Bérberes a imagem do verdadeiro árabe;
livre, valente, excelentes cavaleiros.
Sempre lutaram pelas nações e causas árabes. Comandados por "Laurence das Arábias", que não era das Arábias mas sim um jovem oficial do exército ingles, con-
seguiram o ímpossível: atravessar um deserto nunca atravessado, terrível, para
atacar e vencer as tropas turco-otomanas
aliadas dos alemães na 1ª Grande Guerra Mundial. Façanha histórica ! Começou aí
a criação das imagens de nações árabes
unidas, em vez das pequenas tribos que existiam até então, que só viviam brigando
entre si. Sem o povo bérbere, isso seria
impossível ! Têm o direito à sua própria religião e à sua liberdade. Isso é um fato
notório, porém, direitos são exercidos com
o poder, e, este(o poder), nasce da boca dos canhões. Quem tem os canhões? Quem
tem o poder? Porque árabes e palestinos não destroem o usurpador Israel? Aí sim
haveria glória para os árabes ! Façam isso, em vez de massacrar, discriminar,
perseguir e destruir indefesos bérberes.
Busquem sua glória contra Israel, não
contra os verdadeiros árabes livres por
natureza, os bérberes.


Nílson de Souza Rodrigues
2007-10-06 06:42:16

Tão bárbaros como Bush

Parabéns ao autor. Conseguiu escrever um texto além dos clichês "EUA malvados" ou "Islã terrorista". Apresenta uma visão triste mas inovadora a respeito do "outro lado" da história. Estive na África e pude ver a muçulmanização daquele povo. Infelizmente.
Apenas a última frase me intrigou: "seja o de George W. Bush, o das seitas evangélicas ou o do Hamas."
Que fato efetivamente VIOLENTO, de cunho racista e fundamentalista ocorreu, por parte de "seitas evangélicas" ???????????
Peço uma explicação do autor.


Gabriela
2007-10-06 06:40:20

Tão bárbaros como Bush

O islam é a religião que mais cresce no mundo pois ela é a verdadeira religião de Deus. Hoje o islam é a religião com maior numero de fiés no mundo com mais de 2 bi e meio de seguidores. Parem de contar mentiras e ofender os árabes, eles não representam nem 15% dos muçulmanos.


Site: O Islam é a sua Salvação
arabe paulista
2007-10-06 06:23:35

Tão bárbaros como Bush

Lamentável que o mundo dito civilizado compactue com a eliminação das culturas não predominantes. Lástima que estejamos perdendo aspectos da Humanidade, estejamos cultivando o retrocesso, negando as conquistas Ocidentais, seja do primado da razão iluminada e iluminadora, não déspota, porém útil para um real desenvolvimento social e Humano. Triste e impotência nossa " apreciar" os genocídios, quem não se lembra a dos armênios? Tutsis, autóctones americanos, asiáticos... ou dos curdos sem pátria e sem vez? Para nossa sobrevivência: reajamos protejendo o meio em que vivemos, sim, mas também o seu povo, diretamente e efetivamente.


José
2007-10-06 06:09:41

Tão bárbaros como Bush

Seitas evangélicas?
Explique-se.
João



2007-10-06 05:45:53

Tão bárbaros como Bush

O fundamentalismo vai buscar cada vez mais artifícios e espaço para realizar sua implantação como um Estado. A partir daí novas estratégias e acordos serão lançados para que todos o reconheça não pelo autoritarismo e ataques violentos, mas como um projeto sério de consolidação.
A longo prazo, o terrorismo não faz efeito, e eles perceberam isso, a alienação ao capitalismo dos países emergenentes,das multinacionais,do carbono,é a pior saída para o arabismo, portanto, como instituição eles poderão desenvolver e quem sabe,até 2020, retomar aquele assunto que desapareceu com a queda de um muro. São civilizações surgidas no regadio, querem autonomia na época errada.


Bruno
2007-10-06 04:53:23

Tão bárbaros como Bush

Primeiro, gostaria de dizer que muitos brasileiros nao sabem o verdadeiro significado da palavra racismo. Moro nos EUA a 9 anos e so aqui fui sentir na pele ( e tenho a pele branca ) o que e racismo. Podemos levantar as maos para os ceus porque nosso povo e muito pacifico e so fala e espalha o que veem na midia...Tenho amigos palestinos que sao contra o radicalismo do Ira, mas temos que parar para pensar que sem muito desse radicalismo mostrado ao mundo como terrorismo muitas racas nem existiriam mais. pensem se fosse no Brasil se tambem nao fariamos muitas coisas as quais condenamos em outras racas.


Mabio
2007-10-06 04:37:13

Tão bárbaros como Bush

Religião... Intolerância... Guerra, acho que já vi esse filme antes.


Boller
2007-10-06 04:29:25

Tão bárbaros como Bush

Fundamentalismo existe em toda parte seja com relação a religiões ou ideologias. Os árabes não são excessão. O Islã, tal qual o cristianismo é uma religião que busca a conversão dos "não crentes". Até aí, nada de anormal. O problema surge quando essa fixação pela verdade divina se transforma em intolerância a ponto de se fazer limpeza étnica, como em Darfur.

Quanto ao posicionamento dos países árabes, não dá para se esperar nada. Se não são príncipes do petróleo são ditadores militares. Uma das poucas reações indignadas veio do seio do povo palestino. Não é para se estranhar, já que esse povo vem sofrendo, desde 1948, com um tipo de fundamentalismo que os expulsou de seus lares, para dar lugar a outro povo, que se diz o povo escolhido. Lá também fizeram, e ainda fazem, limpeza étnica. Aliás nessa mesma revista tem artigo muito revelador que trata dessa questão.



2007-10-06 04:13:30

Tão bárbaros como Bush

outro dia entrei num site para fazer uma pesquisa e fui recebida por umas palavras de saudação " o Deus que mora em mim saúda o Deus que mora em você" ...
Achei tão lindo
Por que as pessoas não podem respeitar as diferenças , se são elas que tornam o mundo mais fascinante ?
Mas não , desde que o mundo é mundo, há barbáries cometidas em nome de Deus , sem que haja uma razão totalmente plausível: qualquer coisa que cheire a fundamentalismo,é grotesco, ignorante e primitivo ... coitada da mãe ÁFRICA,só faltava essa mesmo, ser muçulmanizada à força...
não lembra um pouco a Inquisição ou mais recentemente, o Holocausto , ou atualmente o medo do terrorismo desenfreado que pega civis no mundo inteiro aleatoriamente , em nome de Deus ?
Antes de sair querendo mudar o mundo lá fora, essas pessoas deveriam arrumar a sua propria casa, deixá-la feliz e funcional,
aí quem sabe,
seriam convidados a ajudar a África tão pobre,fraca e doente mas rica em interesses materiais, que sempre foi um bom meio de cultivo para grandes potências encherem seus bolsos e, na verdade, o interesse que ela se torne um lugar melhor preocupa muita gente boa, missionários, mundo afora, mas que não têm poder sózinhos - o filme Diamante Negro mostra bem o que eles fazem com eles mesmos , manejados por forças "ocultas"...
As cruzadas, sempre com nomes diferentes, estão longe de acabar, porque o egoísmo e a imbecilidade religiosa e milionária , promovem-nas pagando bem em espécie;
realmente é uma pena , eu até que sou bem informada , e fiquei surpresa com essa matéria, por isso tantas letras escritas ...
é bom que se divulgue mesmo em todos os meios que possa atingir cidadãos de bom-senso , que se preocupam com o mundo, que achem que nada justifique esse massacre cultural , ah, isso me lembra um pouco o que o narcotrafico faz nas favelas , "ajudam" em troca de silencio pra depois cobrar pedagio e matar quem não seguir a cartilha deles .
o negócio é não perder a esperança e torcer pra que a sabedoria e a bondade supere a ganância e o fanatismo
Leila


Site: Tão bárbaros como Bush
Leila
2007-10-06 02:48:33

Tão bárbaros como Bush

... já foi diferente em algum momento da história humana?
o que há por trás do silêncio, das atrocidades e tragédias humanas?
No passado os agentes da desgraça humana valiam-se da ausência de informação... mas e agora? Temos hoje o maior tesouro que nossos antepassados não puderam usufruir... informação e consciência... e mesmo que distorcidas, segundo o ponto de vista, já servem para iniciar o que infelizmente e injustificadamente nos dias de hoje é escasso... o Debate. Mas aonde? Que fórum? Estamos diante de uma ONU que desgraçadamente representa e reflete a humanidade de hoje: mas no que há de pior...
Como otimista que sou, e isto não é uma afirmação cínica, acredito que mais cinco ou dez séculos de absurdos humanos serão, pouco a pouco, a conta gotas, modificando para melhor...


Cao
2007-10-06 02:45:31

Iguais, com sinal trocado

Aviso aos amigos revoltados com o artigo que a vida é dura e complexa. A política americana é detestável, mas seria ingenuidade - senão burrice - pensar que seus adversários (e vítimas) são "o lado branco da força".
Ao contrário, dos antigos comunistas ao atuais fundamentalistas islâmicos, em geral os "inimigos do império" têm o péssimo hábito de serem tão ruins quanto os gringos.... para desespero de uma certa "intelectualidade", que prefere fechar os olhos diante de atrocidades a abandonar sua visão "mocinho-bandido" da vida. Cresçamos.


Lua
2007-10-06 02:12:51

Tão bárbaros como Bush

Muito barbaros.Porque ninguem faz nada em relacao a isso? Porque so assitimos. A Africa sofre opressao ha tantos anos. Tentar aniquilar uma cultura e impor a sua e o modo mais perservo de dizer que se e melhor que todo mundo. O mundo precisa acordar e barrar de uma vez os arabes que querem nos tornar refens de sua pouca liberdade e infelicidade diante da vida terrena. Nos vivemos o hoje e nao a outra vida que vira que certamente nao vira "nunca" pra quem sacrificou tantos povos.


Lu
2007-10-06 01:53:17

Tão bárbaros como Bush

"fundamentalismo intolerante e violento que ameaça o mundo nas últimas décadas — seja o de George W. Bush, o das seitas evangélicas ou o do Hamas."
Das "seitas evangélicas"?


RDS
2007-10-06 01:52:30

Tão bárbaros como Bush

É tudo muito difícil de analisar a partir de um único texto, sem estar lá. Significa ver pélos olhos de outro e, evidentemente, ninguém escapa da ditadura de seus paradigmas, não há discurso imparcial. Mas não se pode negar a ingenuidade daqueles que sentindo-se atingidos nas crenças e ideologias, simplesmente fecham os olhos, invés de se abrir para analisar criticamente, consultando outras fontes, ficando atenado para o que acontece e transcende as fronteiras geográicas do continente africano com a finalidade de desocultar a verdade.


Senhor X
2007-10-06 01:37:21

Tão bárbaros como Bush

O fundamentalismo islâmico é mais uma forma deprimente e cruel de aculturação de povos. Se já não bastassem as mazelas do continente africano que, a propósito, não são poucas, grande parte dos seus habitantes ainda é obrigada a abrir mão de direitos que, segundo a Declaração dos Direitos Humanos, são para todos.
Grande utopia! Essa, definitivamente, não é válida para africanos e demais povos que têm sua cultura esmagada por nações imperialistas.


Site: Tão bárbaros quanto Bush
Sabliny
2007-10-06 01:27:57

Tão bárbaros como Bush

Mas ... e o pan judaísmo racista? Não é o que acontece em Israel em relação aos palestinos?
"Nãããão!" Daí não pode falar ...daí é feio.



2007-10-06 01:13:44

Tão bárbaros como Bush

O mundo vive um paradoxo, em alguns lugares lutamos pelo direito de ser diferentes, no entanto percebemos que no outro lado do mundo, existe uma visão obtusa e intolerante, que luta pela uniformização de opiniões, postura semelhante a do George Bush, deixando de lado as grandes mudanças cuja proganista principal sempre foi a diferença.
Viva ser diferente


elcarlon
2007-10-06 00:57:54

Tão bárbaros como Bush

trata de texto parcial, provavelmente escrito por quem pretente deixar na obscuridão ou desviar a atenção do racismo praticado pelos israelenses contra os árabes. Não caberia também a comparação do preconizado racismo com aquele praticado pelos israelenses contra os Palestinos?


torniqueiro
2007-10-06 00:54:54

Tão bárbaros como Bush

A intolerância e o racismo foram, muitas vezes, as causas de grandes tragédias na história universal.


Soja
2007-10-06 00:52:30

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.