Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 24 de setembro de 2021

» Dissidência jovem no coração do sistema

» Ainda não acabou: o mal-estar na pandemia

» Para entender as três crises do Haiti

» Uma cineasta à altura dos desafios de nosso tempo

» 23 de setembro de 2021

» Evergrande: falência e oportunidade na China

» Tecnologia e política para reconstruir mundo em ruínas

» Cinema: Aranha e nossas raízes fascistas

» 22 de setembro de 2021

Rede Social


Edição francesa


» Émergence de l'Asie sur la scène scientifique

» Singapour, Malaisie, Indonésie : triangle de croissance ou triangle des inégalités ?

» Les rêves déçus et la colère rentrée des harkis

» Conflits d'usages en mer Baltique

» Autocritiques cathodiques en Chine

» L'Australie séduite par la Chine

» Que faisons-nous en Irak ?

» De la mer en partage au partage de la mer

» La Russie à la conquête du Grand Nord

» Batailles pour le partage de la mer de Chine


Edição em inglês


» China's post-communist Communist Party

» The Manet effect

» The race to be German chancellor

» September: the longer view

» Meandering through Paraguay

» Don't expect tech giants to build back better

» Long hot nights on the Paraguay river

» Can Pedro Castillo unite Peru?

» Tensions mount over Yemen's contested islands

» Hungary's Fidesz builds a parallel state


Edição portuguesa


» O mundo em mutação e o Estado - em crise?

» Edição de Setembro de 2021

» Transformação e resiliência

» O caminho de Cabul

» Edição de Agosto de 2021

» Ditadura digital

» Desigualdades digitais

» O direito à alimentação no mundo continua por cumprir

» Filho da Preguiça

» Boca de Cena


Comentários sobre esse texto:

Poema não tão Simples- Comentário

O poema é de uma beleza irretocável. Asensualidade do jogo amoroso , da suavidade à dor da ruptura é exposta de uma maneira nostálgica, tátil, de maneira que se consegue perceber o devaneio e a sensualidade de estilo


Paulo Cezar Marangon
2007-10-13 01:20:03

Poema não tão simples

Um grande exemplo de como a poesia ainda não se perdeu pelos descaminhos do banal.
Ricardo, seu poema é mesmo muito bonito, de uma lírica precisa em cada palavra, que, acredito, é assim que tem que ser.


Thiago Blumenthal
2007-10-11 22:40:19

Poema não tão simples

Muito bom abrir uma coluna para o poeta imprimir expressão.
Aproveito e me apresento neuza ladeira leitora curiosa e poeta.

Eu vivo

A imagem que virou miragem quieta guardada
Ribomba como nos tambores
A graça da dança prima Isadora
O rito pasma a natureza.

Indo e vindo domesticar a dor
A certeza da morte sulcou... Habitua-se a selvas
Ressoa violenta em Tropa de Elite odiando espécies
O convívio se restringe as formalidades...apenas números numa inversão deste estado monstruoso.
Afinal a sociedade é feita para nos servir, mas servimos nós a ela.
Agora um país ameaçador onde a vida pouco vale
neuzaladeira


neuza ladeira
2007-10-11 07:02:16

Poema não tão simples

Quisera poder tecer um cmentário, mas diante de toda maturidade não tida, arrisco.
Comentário simples, breve, desmascarado.

"os dedos das mãos quebrados"
O que permitiu quebrarem?

A simpliscidade na esolha do léxico, mas "não tão simples".
Sem a prenteção de tentar perguntar o quis dizer (nunca pergunte isso a um poeta), pude apenas sentir o que não foi dito.
"nostalgia"
Abraços


não poeta
2007-10-07 02:19:51

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.