Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A Classe de Davos e como vencê-la

» Prepare-se para o ano Bernie Sanders

» Orientalismo: por que não enxergamos o Irã

» 1917: Mergulho no horror e dilemas da técnica

» As ideias perigosas que eles temem

» Polícia Militar, nascida para reprimir greves

» Roteiro para reinventar as cidades brasileiras

» OCDE: o Brasil em busca do selo de vira-lata

» Davos: meio século de fracassos

» Chile: assim prepara-se a nova batalha

Rede Social


Edição francesa


» Population kurde dans le monde

» Un grand peuple sans État

» Contestation à consommer pour classes cultivées

» Raymond Soubie, une éminence grise au service de la « réforme »

» Retour de la mal-vie dans le monde du travail

» Dialogue avorté entre Téhéran et Washington

» La tentation de l'apartheid génétique

» La Colombie est un pays jeune qui a besoin de renouveler ses structures

» Ressources minières en Papouasie

» L'univers télévisé du « porno » immobilier


Edição em inglês


» Ben Bella: ‘It protected us from hatred'

» Hicham Yezza on what went wrong for the UK's Labour Party

» The US and Iran: a long and bitter war

» As Australia's right tacks left on climate, the course is set

» The two souls of veganism

» January: the longer view

» Iranians united

» Luxembourg's multilingual geography

» Controlled by Ritalin

» The hero of Petliura Street


Edição portuguesa


» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»

» Assinatura de 6 meses: só 18 €

» Golpe de Estado contra Evo Morales

» Será que a esquerda boliviana produziu os seus coveiros?


Comentários sobre esse texto:

A arte que liberta não pode vir
da mão que escraviza

a ARTE LIBERTA É DA MÃO ESCRAVIZADA
NUM SEGUNDO DEMOCRATA ELA ANDA.
MAS HÁ UM EQUIVOCO
a TENTENDÊNCIA HUMANA DE ABRAÇAR UM DETALHE E SE ESQUECER DOS OUTROS MILHÕES NEUZA LADIRA


LILIA
2008-03-12 05:42:55

A arte que liberta não pode vir
da mão que escraviza

Estou gostando muito dessa iniciativa, pois já não agüentava a glamourização que a midia tem feito da periferia enquanto tergiversa sobre seus problemas.


Jair Pinheiro
2007-11-04 14:55:41

A arte que liberta não pode vir
da mão que escraviza

yo! rapa, essa semana vai dar o que falar, agora a periferia tem voz, chegou nossa vez, há 85 anos atraz nos da periferia nao fomos convidado para aquela semana, dessa vez quem nao vai sao as elites, e isso ai é nois na fita manos falow...God bless you...peace (z.app@hotmail.com)


dils
2007-10-30 17:31:27

A arte que liberta não pode vir
da mão que escraviza

Excelente, já era mais que hora de divulgar a arte e a voz da periferia. Espero que esse seja um movimento contínuo e que a Semana seja o marco histórico de divulgação e introdução da periferia e sua cultura na cultura paulista.

Ana Célia (São Paulo)



2007-10-29 15:34:21

A arte que liberta não pode vir
da mão que escraviza

Ideia mto boa!!!só resta saber se naum sera nada encoberto para não "constranger muito", se será retrado e repassado a musica, o teatro, o cinema, enfim, as manifestaçoes artística no seu nivel de crítica aguçado msm.
Já é um começo!!!vamos nos livrar dessa elite igonorante brasileira!!!
valeu favela!!!


Andre
2007-10-24 13:43:14

A arte que liberta não pode vir
da mão que escraviza

Viva a arte popular, viva a resistência ao domínio do certo pelos errados, viva a fraternidade e o amor praticado pelas periferias no seu dia a dia, feliz o povo que pode rir sem se preocupar se está sendo agradável ou não... viva a poesia de vida e os filmes realidade, nova escola brasileira pra brasileiro e gringo ver e chocar...


Marco do Paraná
2007-10-22 19:52:30

A arte que liberta não pode vir
da mão que escraviza

paralisou-me a força do discurso. sim, a periferia tem fome de justiça. incensado pela classe média o filme tropa de elite parece ter despertado nos órgãos de segurança no rio a certeza de que podem disparar a vontade nas comunidades e creditar a balas perdidas a morte de crianças e velhos.a insanidade paira nas ações policiasi nas comunidades.oxalá esta iniciativa tambem seja criada no rio de janeiro, se já não existe e eu desconheço


dirceu lopes
2007-10-19 22:18:09

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.