Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Por que o Brasil precisa de um Estado gastador

» A empregada de Guedes e a cozinheira de Lênin

» Esquerda e governo: ideias e lições históricas (2)

» Evo: Como reconstruir o Socialismo Comunitário

» Educação Pública: E se Bolsonaro destruir o Fundeb?

» Cinema: quando o vazio é combustível à vida

» Boaventura: o desenvelhecimento do mundo

» Coronavírus: por que a ameaça persiste

» Quem tem medo de Bernie Sanders

» A nova face das corporações modernas (2)

Rede Social


Edição francesa


» L'enfance, une espèce en danger ?

» Progrès technologique et régression sociale

» La recolonisation du plus pauvre pays de l'hémisphère occidental

» Taïwan, ou l'indépendance dans le brouillard

» Sur les causes de la pauvreté des nations et des hommes dans le monde contemporain

» La criminalité en « col blanc », ou la continuation des affaires…

» Les manœuvres à l'intérieur du parti de M. McGovern diminuent les chances d'un candidat démocrate

» Un réseau élargi et solidaire

» Images strictement contrôlées

» La leçon de Cro-Magnon


Edição em inglês


» US ideologues in the ascendant?

» US ideologues in the ascendant?

» Rojava, a fragmented territory

» Australia's angriest summer

» February: the longer view

» African national parks managed by African Parks

» Genetic medicine makes the world less fair

» From apartheid to philanthropy

» Who is the land for?

» Belarus, the industrious state


Edição portuguesa


» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…

» As marcas do frio

» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»


Comentários sobre esse texto:

Para que as cidades ressuscitem

Precisaremos levar os motoristas a olharem a Terra por cima (como os astronautas)e, aí sim, quem sabe, nessa visão, a consciência impacte os mais teimosos.
O ser humano de um modo geral ainda não deu certo. A cidadania é um execício de poucos e, a necessidade da pedagogia no tema em questão tem que ser repetida e repetida sem parar.
"Até que se perceba que todos os problemas são problemas de todos"


Baruch
2008-05-11 15:53:30

Para que as cidades ressuscitem

Parabenizo os autores pelo excelente artigo. Contudo, a solução dos problemas evidenciados pelos mesmos, vão além!

Para que se reduza a utilização dos carros, faz-se necessário um Sistema de Transporte Público eficiente e confortável.

Os cidadãos não podem esperar, na chuva, durante 1 hora para utilizar um ônibus, e quando tiver a oportunidade de fazer tal uso, ser expremido pela quantidade de passageiros.

Não pode-se esperar que as pessoas utilizem o Metrô, se esse pára a cada 4 horas devido os problemas de seus equipamentos.

Os Trens Metropolitanos (CPTM), em sua maioria, tiveram suas linhas construídas ao longo do leito de rios. Logo, uma chuva mais forte inunda as linhas e não permite o tráfego.

No momento a única alternativa que tem se mostrado viável é os Trólebus que ligam a Capital e o ABC. Contudo, seu preço e seu custo são maiores, além do que tomam um espaço maior na arquitetura urbana, impedindo o livre tráfego.

Para piorar, temos que analisar a questão das liberdades individuais. Como fazer?

Abraço,

Anderson Gonçalves dos Santos
Juventude Social Democrata Zona Sul


Anderson Gonçalves dos Santos - Juventude Social Democrata Zona Sul
2008-03-12 14:58:35

Para que as cidades ressuscitem

A minha proposta de resolução da questão, é fundamentada na parceira do Governo Federal com a indústria automobilística (já que no Brasil o grande empresário não corre maiores riscos), para o investimento em malha ferroviária em todo o país, num aprazamento de dez anos, meta de sessenta por cento do sistema de transportes de pessoas e cargas.
Creio que a mudança da arquitetura do transporte urbano no país, permitiria a redução da poluição, dos riscos de saúde e uso mais adequado dos recursos da nação.
Maury Cantalice



2007-11-07 14:19:29

Para que as cidades ressuscitem

O problema que São Paulo enfrenta é o mesmo de muitas metrópoles. No entanto, o país que detém a maior frota de veículos (Japão) possuimeios de transporte altenativos como o trem bala. Isso seria o’timo ao Brasil, visto que é um país extenso. Foi inestido muito dinheiro em rodovias na década de 50, se hoje, investisse a metade em ferrovias especiais, o Brasil com certeza iria melhorar não só a poluição, mas também o fluxo intenso de brasileiros!


Jhonny
2007-11-07 12:19:31

Por outros meios de transporte

A mundança de hábito no transporte é um
sonho que pode se tornar realidade. E não apenas São Paulo necessitar urgentemente rever sua forma de circulação das pessoas, mas todas as cidades do Brasil. As pequenas e médias ainda tem mais facilidade resolver o problema e as grandes, todas, estão um caos. Tudo vale. Transporte público, bicicleta, charrete...


Mario
2007-11-06 12:18:37

Para que as cidades ressuscitem

Não seria melhor enterrar o morto?

Concordo 100% com a indignação dos autores, mas não entendi qual é a proposta para SP melhorar. Porque, obviamente, apenas atacar os automóveis não resolve os gravíssimos problemas da cidade, que não podem ser resumidos à qualidade do ar (ar?) que respiramos. E o desemprego de 20%? E a desigualdade entre os 3% da população com idh europeu e os 53% com idh africano?

Para não estender muito a lista de problemas fico com este último: como São Paulo pode ser uma cidade (Polis) se tem mais de 11 milhões de habitantes?

Esse problema é crucial. Não há como manter um grau de civismo, identificação com a cidade, participação e bom funcionamento com uma população tão grande. O melhor é propor um plano de evacuação e reduzir a população deste campo de concentração.


Jean
2007-11-05 18:49:55

Parabens por propor um movimento

Tambem acredito que as solucoes so serao acionadas se colocarmos as pessoas em movimento, meus parabens aos autores do texto. Gostaria de ler ouras colunas com mais informacoes e dados sobre os nossos problemas para fazermos a disputa com nivel.


Carlos Guimaraes
2007-11-04 00:24:56

O problema vai além

Sou ecologicamente consciente. Sinto culpa em pegar o carro todos os dias de manhã e vir trabalhar. Mas, em São Paulo, faço isso por questão de segurança. Moro perto da estação Santa Cruz do Metrô, trabalho ao lado da estação Vila Madalena. Aqui, nos arredores do escritório, a menos de duas semanas, uma amiga teve a bolsa roubada. Perto da minha casa, um velhinho virou notícia quando levou tiros dentro de um caixa eletronico e um médico foi assassinado com um tiro na cabeça por causa de um celular. Seria um prazer, todas as manhãs, especialmente nesses dias lindos que têm feito na capital, caminhar até a estação e ir até o trabalho de metrô. Mas me sinto mais segura andando de carro, e não caminhando pelo campo minado que SP se transformou. O que essa cidade precisa, antes de mais nada, é segurança e transporte público eficiente. Depois disso, vai ser fácil estacionar o carro na garagem e respirar um ar cada vez mais limpo. Consciência, as pessoas têm. O que elas precisam é de condição para colocar a consciência ecológica em prática.



2007-11-01 13:22:43

Para que as cidades ressuscitem

Achei fantástica essa reportagem.
Há muitas pessoas que já estão se mexendo por uma São Paulo melhor, quer seja por atitudes individuais, quer seja reunindo-se em grupos com objetivos comuns, mas, perto do tamanho do problema, pode-se dizer que quase nada foi feito.
No meu caso, procuro ter pequenas atitudes, como andar predominantemente de Metrô ou Ônibus, não jogar lixo na rua, separar o lixo, enfim, exercer minha cidadania.
Outra coisa que faço é ajudar a Prefeitura e o Metrô a cuidar do que é nosso, postando reclamações e sugestões nos sites deles sempre que necessário.
Por exemplo, algumas lâmpadas do Metrô Luz estavam queimadas há dias. Como não consertassem, fiz reclamação no site do Metrô há dois dias. Hoje de manhã, ao passar lá, constatei que estava havendo manutenção da parte elétrica.
Acho que faço muito pouco ainda, em breve pretendo fazer parte de um ou mais grupos que lutam por uma qualidade de vida melhor para São Paulo, de forma a agir mais efetivamente.
Mario


Mario
2007-11-01 13:19:19

Para que as cidades ressuscitem

O Jacana, que eh um bairro ja meio distante do centro, era maravilhoso com vista e proximidade da Serra da Cantareira, era como vir daquele inferno do centro e chegar num bairro calmo, tranquilo, sem transito. Hoje em dia esta um inferno, cada ano que passa piora mais. Tenho saudades tambem das decadas de 70 (que eu era crianca) e 80 tambem. Fico indignado tambem como nao existem arvores nas calcadas, parece tudo um deserto, arido, eh soh concreto. Sera que eh tao caro assim plantar arvores ao longo de grandes avenidas ?? Ningem em SP tem mais jardins, eh tudo lajotas, ceramicas. Uma pena mesmo.
Soh acredito numa saida para SP: metro e trens - e um pedagio que limite os carros na cidade, pois carro ja virou uma questao "cultural". Fiquei horrorizado com o transito no RJ tambem. O taxista me disse que "eh sempre congestionado" assim. La, pelo menos, eles tem a brisa do mar e natureza.


Marcos
2007-11-01 12:59:59

Para que as cidades ressuscitem

Não podemos continuar aceitando passivamente a ação desses criminosos - carros. A médio prazo a nossa São Paulo estará pior que o vale da morte - Cubatão. O espaço para comodar nossos criminos (carros) está pequeno. Se os condutores desses criminosos resolvessem sair todos ao mesmo tempo,faltaria 3.700.000 de vias para que os veículos podessem se locomover.
Uma pesquisa relizada anteriormente constatou que existe 17 milhões de vias e seria necessário 21.5 milhões.
Antono Carlos.


Antonio Carlos
2007-11-01 12:42:49

Para que as cidades ressuscitem

Não podemos continuar aceitando passivamente a ação desses criminosos - carros. A médio prazo a nossa São Paulo estará pior que o vale da morte - Cubatão. O espaço para comodar nossos criminos (carros) está pequeno. Se os condutores desses criminosos resolvessem sair todos ao mesmo tempo,faltaria 3.700.000 de vias para que os veículos podessem se locomover.
Uma pesquisa relizada anteriormente constatou que existe 17 milhões de vias e seria necessário 21.5 milhões.
Antono Carlos.



2007-11-01 12:40:48

Para que as cidades ressuscitem

COMO UM SONHO, RESSUSCITARMOS, NUMA SÃO PAULO, DOS ANOS, 50, COM AQUELE, AR PURO,
Á CALMA, A HOSPITALIDADE DE NOSSOS VIZINHOS,AH. QUE MARAVILHA....


DONA LU
2007-11-01 01:39:55

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.