Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Aos super ricos, os super genes?

» A Ideologia da Mineração está em xeque

» Orçamento 2020 expõe o Bolsonaro das elites

» A esquecida questão da desigualdade energética

» Crônica de Cuba, em incerta transição

» “Direitos Já”: Uma perigosa contradição

» Cinema: Espelhos deformantes

» As mentiras da ciência a serviço do mercado

» Anatomia da próxima recessão global

» Passo a passo para frear a devastação da Amazônia

Rede Social


Edição francesa


» Les beaux jours de la corruption à la française

» Parler français ou la « langue des maîtres » ?

» Au Portugal, austérité et contestation

» Le piège du 11-Septembre

» Quand la gomme arabique fait tanguer l'Amérique

» Au Kosovo, la « sale guerre » de l'UCK

» L'école publique à l'encan

» Le régime de Khartoum bousculé par la sécession du Sud

» Les apprentis sorciers de la retraite à points

» Hongkong dans l'étau chinois


Edição em inglês


» September: the longer view

» Afghan peace talks: Trump tweets, Taliban fights

» An inexhaustible myth in times of extreme adversity

» What happened to social solidarity?

» Sudan: conflict, violence and repression

» Russia's appointed billionaires

» Another end is possible

» Arms sales: the Swedish model

» Soft power influence in the Arabian Gulf

» Life with bribes and kickbacks


Edição portuguesa


» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019


Comentários sobre esse texto:

Explicando

Livia, o texto do Piglia serviu mesmo só como desculpa para introduzir a questão da história oculta em "Bóris e Dóris". Mas para mim o problema é justamente o Piglia usar a sua tese como uma receita para ler narrativas curtas: ele a apresenta e em seguida define diversos autores - Borges, Hemingway, Kafka - de acordo com a forma como eles contariam uma determinada história oculta através de uma determinada história exposta. Por outro lado, chamar a atenção dos leitores para a possibilidade das histórias ocultas é um ponto positivo; mas, como escrevi na resenha, dizer que as histórias ocultas estão sempre lá é desvalorizá-las. Sobre pensar o texto de Piglia dentro de sua própria tradição, confesso que não entendi o que você quis dizer.

Abraços,

Lucas


Lucas Murtinho
2007-11-16 22:21:56

Sutilezas entre ocultar e dizer. Quais?

Não vejo razão para desqualificar o texto de Piglia, uma vez que ele não é invalidado ao longo da argumentação. Além disso, seria mais interessante pensá-lo dentro de sua própria tradição e não como receita para ler narrativas curtas.


Livia Grotto
2007-11-11 12:31:59

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.