Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Chantagem do governo aos desempregados

» Ruínas do neoliberalismo: Chile, caso precursor

» E se as startups pertencessem a seus funcionários?

» Boaventura vê Lula Livre

» América Latina: a ultradireita contra-ataca

» O Mercado, os economistas e outros seres transcendentais

» Nem todo Uber é capitalista

» Comuns, alternativa à razão neoliberal

» “Nova” ultradireita, filha dos neoliberais

» Como os PMs são formados para a incivilidade

Rede Social


Edição francesa


» A Berlin, le face-à-face des intellectuels de l'Est et de l'Ouest

» Réveil politique à l'Est

» Les Allemands de l'Est, sinistrés de l'unification

» Le difficile chemin de la démocratie espagnole

» Il y a cent cinquante ans, la révolte des cipayes

» Hôpital entreprise contre hôpital public

» Dernières nouvelles de l'Utopie

» Très loin des 35 heures

» Qui a profité de l'unification allemande ?

» Chantages ordinaires chez General Motors


Edição em inglês


» November: the longer view

» Ibrahim Warde on the rise and fall of Abraaj

» Fighting ISIS: why soft power still matters

» Life as a company troll

» The imperial magazine

» Setting Socrates against Confucius

» Price of freedom on the road

» Global business of bytes

» A firm too good to be true

» In the GDR, old debts and big profits


Edição portuguesa


» No Brasil, os segredos de um golpe de Estado judiciário

» Edição de Novembro de 2019

» Sempre uma coisa defronte da outra

» OTAN: até quando?

» Alojamento local-global: especulação imobiliária e desalojamento

» Rumo a uma governança participativa da vida nocturna de Lisboa

» A Expo'98 e o Parque das Nações: Estado, gentrificação e memória urbana

» Uma história do Habita

» «Ficar sem Tecto»: as demolições no Bairro 6 de Maio

» Gentrificação e turistificação: o caso do Bairro Alto em Lisboa


Comentários sobre esse texto:

Um mestre na periferia

Irmão de perifa, do lado sul para o lado leste, as palavras de Sérgio Vaz me emocionam...

Que o amor, a força e a luta possam fazer a gente pipocar ações "desvairadas" como essas nas quebradas Leste, onde Itaquera é só o começo da cidade, não o final...

Afinal, o que é ser normal?O que é ser comum? Isso é que ser humano! Ser complexo na quebrada!

Que a ilha de subversão da Cooperifa se transforme em Tsunami!

Alexandre


Site: Aliança Libertária Meio Ambiente - Alma Ambiental
Alexandre Falcão - Grupo Alma Ambiental
2008-01-04 18:54:42

Um mestre na periferia

Porque:
"lá não se aprende a pedra: lá a pedra,
uma pedra de nascença, entra na alma".
(joão cabral de melo neto)


Vanessa
2007-12-28 15:49:06

Um mestre na periferia

E eu, q não conheço o corre da periferia, e q pensava q as "retinas tão fatigadas", dos velhos sonhadores, diante das pedras do mundo, haviam finalmente cegado, pude agora compreender quanta luz cabe na arte quando estes "pedreiros" (feitos objetos de manobras artístico-intelectuais de intenções duvidosas concebidas do refrigério dos bairros-jardins-dignos-do-nome)de repente se fazem sujeitos na história possível.


Vanessa
2007-12-28 15:46:50

Um mestre na periferia

Um dos movimentos mais importantes na atualidade, Cooperifa, um Quilombo Cultural com certeza, um sonho de 20 anos que foi sendo criado com calma e sabedoria, quem conheçe sabe. Desde seus corres dentro da literatura com suas poesias atuais e perifericas, um menino chamado Sergio Vaz com um objetivo, agir num movimento de ação, de atitude, levando forças e trazendo motivação pro outro lado da ponte. Sem duvida hoje; um homem que continua construindo e contribuindo por uma periferia melhor. Parabéns irmão Sergio Vaz! Tamo junto! É tudo nosso!


Site: Um mestre na periferia
Jairo Periafricania
2007-12-28 14:37:10

Um mestre na periferia

Um trabalho muito digno. Uma visão clara de que periferia é lugar produtivo e que merece ser visto com dignidade e não com falsa piedade. Não quero fazer parte de uma periferia calada e omissa não, antes quero ver, aqui no Rio ações culturais como esta. Infelizmente a autoridade maior do estado disse, que a periferia era fábrica de delinqüentes, mas a mesma esqueceu que quem gerencia esta fábrica é a própria autoridade eleita por esta fábrica, ou seja, nós da periferia.
Parabéns a esta iniciativa do Le Mond nos mostrar uma visão mais consciente de uma Brasil de todos e para todos.


Agnaldo Santana
2007-12-28 11:14:36

Um mestre na periferia

Concordo com a Helizabet Bispo. A periferia e o mundo precisam de gente que, como o grande guerreiro Sérgio Vaz, falem mais e também façam mais.
Prá sorte da perifa sul de São Paulo, lá pelas bandas da Estrada do M’Boi Mirim, nessa região essa espécie está em profusão... Contagiar a cidade (e o mundo) é só uma questão de tempo.

Ademir

Brava Companhia


Site: Blog da Brava
Ademir
2007-12-28 01:20:36

Um mestre na periferia

yo!! manos, sergio vaz, e o nosso cara que temos na periferia, representando os manos do guetto, sem comentario, esse é o cara faz acontecer nas periferias do brasil, é nois.

God bless you...peace


dils
2007-12-26 18:47:44

Um mestre na periferia

O Sérgio tem uma capacidade que me facina.
Das peladas no campinhos de terra herdou a capacidade de driblar num pequeno espaço do campo.
Com a maestria de quem se fez na jogando na várzea, baila com a caneta.
Agora, fazendo poesia...
Dribla o óbvio, e em poucas linhas consegue ser completo, complexo, coerente, convincente...

Parabéns por honrar a verdade "Poeta da Periferia"!
.


Site: UM MESTRE DA PERIFERIA
GOG
2007-12-26 02:39:49

Um mestre na periferia

É fundamental o trabalho desse poeta, desse fazedor de coisas, desse colecionador de pedras - pedras fundamentais que dão sustentação a cultura de um povo, o resgate da cidadania e a eterna busca da felicidade. Só que ele encontra e perpetua a felicidade, o sorriso, a dignidade das pessoas que convivem com ele.
Parabéns pela entrevista e pelo testemunho de vida. Um exemplo de que fazer não é esperar.


jn canabarro - ducana
2007-12-25 22:42:14

Um mestre na periferia

Corrige depressa o título "Sá", fica chato né? Tá claro, no texto, que é Vaz...


Ralf Rickli
2007-12-25 04:37:25

Um mestre na periferia

como é bom ver um cara como este sérgio vaz, que ao invés de ficar falando faz!!parabéns pela entrevista!!


helizabet bispo
2007-12-24 21:17:40

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.