Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 29 de novembro de 2021

» Breve nota sobre a futilidade do sucesso

» Paulo Freire e a aposta na comunicação libertadora

» Pochmann: do colonialismo mental ao tecnológico

» 26 de novembro de 2021

» Mundo em desencanto: a alternativa do Comum

» Da tabelinha futebol e literatura sai gol de letra

» A potente imaginação política do Teatro Legislativo

» O tempo de tecer comunidade

» Somos todos cavalos

Rede Social


Edição francesa


» Mirages verts et sobriété californienne

» Harry Potter expliqué aux parents

» Revendications et occupations en mer de Chine méridionale

» Le Vietnam

» De la décolonisation à la troisième guerre du Vietnam

» Diaspora vietnamienne

» Vietnam, comparaisons régionales

» La libération inachevée des Afro-Américains

» L'apparition d'un nouveau type d'homme

» Une flammèche obstinée a embrasé la Guadeloupe


Edição em inglês


» Iraq's great divides

» China is open for investment

» Colonial accountability in Niger

» In search of luxurious communism

» November: the longer view

» The carbon balance

» CO2 emissions around the world

» What's in a phone?

» If only Assange had been Navalny

» India's silent but deadly killer


Edição portuguesa


» Edição de Novembro de 2021

» O tecto de vidro europeu

» E a Grécia volta a ser exemplar

» Edição de Outubro de 2021

» Um império que não desarma

» Convergir para fazer que escolhas?

» O mundo em mutação e o Estado - em crise?

» Edição de Setembro de 2021

» Transformação e resiliência

» O caminho de Cabul


Comentários sobre esse texto:

Desenvolver capacidade para criticar...

As observações do Paulo Marangon são muito interessantes, mas não traduzi o texto do Lucas Murtinho da mesma maneira... Constato no dia a dia as inúmeras dificuldades criadas pelo analfabetismo funcional, pela não leitura, etc... O senso crítico de um leitor de texto escrito é muito mais apurado e democrático que de um não leitor. Existem diversas formas de expressão e leitura, mas a escrita desenvolve de modo muito especial a capacidade de diálogo racional. No entanto, acredito que em tempos de cultura televisiva e digital o texto escrito tem mudado sua forma e propósitos... Sinto falta de uma responsabilidade mais civilizada de autores e editores, bem como de estudos que realmente interfiram nas decisões sobre como conduzir políticas públicas de comunicação social ou educação para formação de cidadãos.


Gossi
2008-02-15 15:25:40

Um país de não-leitores

O Grasil, é um país de uma capacidade intlectual extraordinária. Poucas pessoas conseguem captar como o brasileiro preserva e revigora sua cultura de uma maneira que as outras nações , já consideradas arcabouços de intelectualidade estão se voltando aos aspectos de vitalidade e liberdade de expressão, com meios antes considerados de maneira pouco consequente, como meios arcaicos, como a manutenção da cultura oral, da transmissão de crenças de uma geração a outra através de costumes e da palavra pronunciada, da adaptação da cultura ás inovções, da descoberta de meios que alicercem esss trnformações à cultura já existente de uma maneira mais sensata. O analfabetismo visto apenas como fator de se ter ou não uma propriedade de ser ou não um indivídio escolarizado, aberto aos meios intelectuais garantidos pela cultura literária, vista como uma possibilidade de mercado, de ponto de referência para o julgamento do desenvolvimento das capacidades intelectuais de uma nação , me parece bastante estreito. A cultura de um povo não se mede por sua capacidade de aquecer o mercado intelectual por meio da educação
sistemática, atrelada a escolas , movimentos literários e ao mercado literário. A criatividade e a liberdade de expressão , de opções para solucionar problemas , a capacidade e os meios de se obter cultura , podem ser vistas não de uma forma estática, mas de uma maneira dinâmica, de possibilidades de afirmação cultural enquanto criadores de cultura.
O analfabetismo é uma questão que não tem necessariamente, como parece estar ligado à questões como ausência de civilidade desorganização, anomalia intelectual ou indigência intelectual.
Os termos a propriedade de cada um deles tem de ser repensado. O Brasil não é um país de analfabetos.


Paulo Cezar Montalvão Marangon
2008-02-05 22:50:13

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.