Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» No Equador, a insurreição tem rosto indígena

» A instigante experiência da “comuna” originária

» Alcântara, acordo indigno

» Marxismo cultural, hora de um resgate

» Conheci Santa Dulce dos Pobres

» Finanças: antes da tempestade, o mormaço

» O amargo sabor da fruticultura brasileira

» O Mugica que era padre

» O flerte do “lugar de fala” com a brutalidade israelense

» Equador: os componentes da rebeldia andina

Rede Social


Edição francesa


» Gauche latino-américaine, version Uruguay

» Fascisme, islam et grossiers amalgames

» Intellectuels est-allemands sur la sellette

» Le malheur kurde

» La Turquie dans le grand jeu

» Fiasco américain au Proche-Orient

» Le paradis sur terre des intellos précaires

» Ces territoires méconnus de l'économie sociale et solidaire

» Ces visages multiples de l'islamisme

» La santé, malade de l'argent


Edição em inglês


» October: the longer view

» Socialism resurgent?

» Power to decide who's guilty

» East Germany's loyal returnees

» Ankara realpolitik

» South Africa's lands must be shared

» Turkey's rival Islamists

» Argentina's unlikely presidential duo

» Reversing the polarities

» Value chains: who takes the profits?


Edição portuguesa


» Edição de Outubro de 2019

» Estabilidade para quem?

» Washington contra Pequim

» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019


Comentários sobre esse texto:

Mein Führer, ousadia e frustração

Assisti ao filme na Austria, e devo confessar que comoestava lá há apenas um mês, não pude compreender totalmente os diálogos. Mas eu, meus amigos austríacos e aparentemente todos ali no cinema abraçaram a proposta do filme, fazer rir, relaxar e o principal, tirar um enorme sarro da cara do ditador, caricaturizado pelos olhos do judeu que narra a história.
Também como percebi para os austríacos é muito pesaroso e tabu falar sobre a segunda guerra e Hitler, mas o filme possibilitou muito cmentários e comparações coma história, coisas que antes, na minha estadia, eram tópicos proibidos de conversa(expressamente desta forma em meu primeiro dia por lá).
Pudemos debater a história, a realidade, a atualidade, o filme, a comédia e a verdade por trás dele.

Para mim então o filme teve um propósito pessoal muito importante e me proporcionou também algumas risadas.


Nadja
2008-04-14 23:21:33

Mein Führer, ousadia e frustração

Excelente artigo, retórica impecável.Parabéns!


Cláudio
2008-03-27 14:13:46

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.