Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 12 de agosto de 2022

» Nos arquivos soviéticos, a vida real sob Stálin

» Propostas agroecológicas para o novo governo Lula

» Crônica: Influências

» Conversas entre a psicanálise e a terapia psicodélica

» Ab’Sáber: Caetano Veloso do transe à transa e depois

» 11 de agosto de 2022

» O capitalismo à beira da Grande Estagflação

» Entre ver estrelas e apagar pessoas

» Os possíveis estertores do neoliberalismo autoritário

Rede Social


Edição francesa


» L'Afrique du Sud lassée de ses libérateurs

» Le rêve américain au miroir du basket-ball

» Minsk se rebiffe contre le grand frère russe

» L'agriculture biologique dans l'Union Européenne

» Retrouver le rire de Bertolt Brecht

» En campagne avec les troupes de Jeremy Corbyn

» Au Chiapas, la révolution s'obstine

» Profession : député

» La civilisation de la tomate

» Le capitalisme raconté par le ketchup


Edição em inglês


» America's ageing nuclear facilities

» Julian Assange, unequal before the law

» Wuhan: the Covid diary

» The high price of becoming a student in Russia

» Why Parisians fear and loathe Saint-Denis

» Kosovo's problematic special status

» Summer in Moldova: will the party have to stop?

» Three little letters the world came to hate: IMF

» Will the FARC accords finally work under Petro?

» A tiny piece of Palestine, not quite forgotten


Edição portuguesa


» Dos lucros dos oligarcas aos vistos dos pobres

» Em defesa da água e do futuro do Algarve

» A escrita delas, África em Portugal (ou Donde sou)

» Vozes femininas e o livre imaginar

» O Comité de Salvamento Privado

» A burguesia francesa recompõe-se em Versalhes

» Que país pode ser independente?

» O fim do desencanto para os ex-guerrilheiros?

» Acarinhar Pinochet, destruir Assange

» Ardósia mágica


Comentários sobre esse texto:

Sobre crises, hecatombes e ilusões

Presentemente o Mundo já se encontra de algum modo no limiar duma Nova Era da Civilização que será erguida sobre os escombros que também já se anunciam da actual.
Esta inevitabilidade, por seu turno, pressupõe uma alteração qualitativa profunda da própria natureza do Poder em que a Nova Era do Mundo se sustentará.
A fonte e base insofismável do Poder na Nova Era que se avizinha será determinada e determinante em torno de coordenadas distintas das que actualmente ainda condicionam e explicam o funcionamento da Economia e a persistência do sistema monetário e financeiro internacionais.
Estes são modelos esgotados, votados ao desaparecimento previsivelmente varridos por uma Nova Era de Bem estar e de Justiça assente na Força imparável do CONHECIMENTO.
Será esse o Novo Poder - o Poder da Ciência e do Conhecimento - que ditará então uma Ordem Nova para a Humanidade.


albertin.2a
2008-04-14 01:24:04

Sobre crises, hecatombes e ilusões

O texto é oportuno, pois recomenda cautela aos mais entusiasmados.

Estas pirâmides (bolhas) vêm sendo construídas com a conivência compadresca das autoridades, que permitem as indecentes alavancagens geradoras de lucro fácil aos arquitetos. Nestas condições, o predador só se absterá do seu objetivo em caso de iminente perigo e enquanto este não estiver presente ele continuará devorando.

Assim, é preciso denunciar os excessos da unipolaridade, que submete as demais moedas e que bombardeia populações desprotegidas com a finalidade de obter mais lucros.

Caso viesse a ocorrer a hecatombe, ainda assim sobreviveria aquele que tem o imbatível poder militar e que, no caso, está associado a uma assombrosa hegemonia tecnológica.

A busca da multilateralidade, que é fundamental para o desenvolvimento harmônico da humanidade, depende desta lucidez.


João Pedro
2008-04-01 21:29:37

Sobre crises, hecatombes e ilusões

Excelente texto!
De fato os EUA nos anos 70 enfrentaram uma crise de reestruturação que abriu passo para que a Comissão Trilateral de David Rockefeller conseguisse impor a nova visão de uma hegemonia econômica global liderada pelos EUA. As novas idéias apresentadas foram postas em prática no Chile de Pinochet, na Inglaterra de Tatcher e nos EUA de Reagan. Essas mudanças estruturais na economia global foram em parte responsáveis pelo colapso soviético, um dos objetivos da Comissão Trilareal...Isso garantiu a hegemonia indiscutível dos EUA por toda a década de 90...
A questão que se apresenta hoje é se essa mesma política econômica neoliberal de caráter hegemônico não seja em parte o real motivo da crise econômica vivida nos EUA...


Site: Sobre crises, hecatombes e ilusões
Gutenberg
2008-03-31 13:11:12

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.