Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» Hummocks, sentinelles de notre planète

» Gaz et litige frontalier

» Diaspora libanaise

» Liban : comparaison régionales

» Communautés religieuses au Liban

» Empereurs des médias, de Springer à Murdoch

» « L'Avenir prisonnier »

» Oran, 5 juillet 1962...

» « Mes voisins sont de drôles de types »

» Eternel retour des bandes de jeunes


Edição em inglês


» Back to the JCPOA?

» China's outlaw armada

» Timidity in New Zealand

» November: the longer view

» The defeats of Golden Dawn

» Border tensions

» China: its rise and rise

» China leads the 5G race

» South Korea's feminists fight back

» The biosecurity myth


Edição portuguesa


» Ofereça uma assinatura de 6 meses, apenas €18

» Edição de Novembro de 2020

» A máquina infernal

» Requisição civil

» Um resultado que ninguém aceitará

» Edição de Outubro de 2020

» Distâncias à mesa do Orçamento

» Falsas independências

» Trabalho na cultura: estatuto intermitente, precariedade permanente?

» RIVERA


Comentários sobre esse texto:

Por uma pornografia livre

Os fatos comprovam. Apesar de toda essa retórica fascista-capitalista da mídia, a sociedade vem, cada vez mais, derrubando os mais diversos tabus que envolvem a sexualidade.
Provavelmente as futuras gerações viverão numa sociedade mais livre sexualmente.


Tata
2008-05-22 17:36:02

Por uma pornografia livre já

Os fatos comprovam. Apesar de toda essa retórica fascista-capitalista da mídia, a sociedade vem, cada vez mais, derrubando os mais diversos tabus que envolvem a sexualidade.
A resistência a globalização não se dá apenas no campo externo. Ela também atua na ’vontade da potência’.
Provavelmente as futuras gerações viverão numa sociedade mais livre sexualmente
.


Tata
2008-05-22 17:34:12

Por uma pornografia livre? Isto é verdade?

Olhe só:
Sou escritor pornográfico.
Nunca consegui publicar p* nenhuma.
Os sites (poucos) que aceitam manter meus trabalhos, não dão destaque para não chocar os ovos das peruas emproadas que vivem fazendo poesias masturbativas de você foi embora e eticétera.
Portanto a pornografia nunca será livre.
Nem deve ser, pois assim perderá seu charme, sua magia, seu não-sei-quê-mais-lá.
Algumas de minhas peças foram barradas nos ensaios, como Rossêu e Julimeta e o musicaos Viagem Através do C*.
Minhas "Histórias Eróticas da Bíblia" revoltaram tantos santinhos que me tacharam a alcunha de anti-cristo.
Mas é isso mesmo. As pessoas vivem na desgraceira, na fome e na miséria, na violência descabida e sendo roubadas pelos ricos e pelo estado, mas a putaria é que é reprimida.
As condições de existência de boa parte dos seres humanos do planeta, que vivem sub-humanamente é que é pornografia.
Queremos mesmo é gozar!

Aschelminto da Silva
aschelminto@hotmail.com


Aschelminto da Silva
2008-05-21 16:57:00

Por uma pornografia livre

Talvez este assunto - pornografia devesse ser olhado sob outro prisma. Pornografia não é instinto. pornografia é derivada da falta de satisfação dos instintos.
Liberar a pornografia é como querer liberar o adismo, o consumismo e outros ismos.
estes "ismos" não fazem parte da personalidade dos humanos na sua essência. os indígenas parece não terem esta necessidade.
Liberar a pornografia é desestimular os relacionamentos verdadeiros.Não é estimular a liberdade. quem se prende a estas esquisitices sexuais não é livre. É obcecado sexualmente.Uma pessoa obcecada não é livre.
O que precisa ser liberado é o desejo, a satisfação do desejo e este não nasce atrelado a figurações chamadas pornografia.
isto ocorre com todos os instintos. na sua ess encia são saudáveis e vem para a proteção da pessoa. AO comer por exemplo. Se voc e mantiver uma dieta de tr es refeições saudáveis por dia, não terá vontade de comer nada em excesso, mirabolante, gorduroso, doce demais ou picante demais.
O corpo é sábio.
para mim, a pornografia é descendente direta da falta de sexo, de relacionamento.
O corpo nú, cenas de corpos juntos, retratos da intimidade do corpo, tudo bem.É bonito, deve ser liberado.Porém, estas aberrações pornográficas, advindas de gente prisioneira do desejo mórbido por esquisitices não devem ser publicadas, estimuladas, mostrdas como modelo ou algo normal, saudável.Pintos entre plumas? Convenhamos, é ridículo.
Por qu e alguém teria este desejo? Porque está siolado, solitário e obcecado por pintos. geralmente travecos frustados na expressão do seu desejo. esta frustração pode degenerar em obsseções mentais que fogem do conrole da pessoa ou ser extravasado na pornografia.
por qu e não liberar a saciedade do desejo primordial e liberar aquela pessoa para a vida real em vez de copiá-la, exaltá-la como um ser realmente livre?
O ser humano em formação - adolescente - deveria ser o foco das atenções da sociedade.’É nesta fase que surgem os desvios pelo impedimento da satisfação dos instintos.
O ego nesta fase é fraco e o instinto força sua satisfação que, não podendo ser satisfeita, vai encontrar a pornografia como substituta.
A pornografia substituta da verdadeira satisfação sexual. E como tal, não deve ser propagada.A satisfação sim, esta deve ser publicada, estimulada, aceita. tudo o mais que se relacione ao prazer entre as pessoas deveria ser livre. Mas baixaria não, por favor.Que esta se restrinja a quatro paredes e à prisão interior dos seus criadores. Poupe-nos de pintos em plumas e outras aberrações!!!!!!



2008-05-21 14:59:44

Por uma pornografia livre

Muito legal ter espaço para um debate como este e Provocador também).falar em Pornografia causa esquisitice...A matéria é super interessante e provocadora , por vezes parece querer criar uma critica a pressão sexual,outras apenas criar polemica ou radicalizar para provocar.No Ocidente,as liberdades eróticas são explicitas(aceitas)como forma de expressão de liberdade nas artes.Provoca um outro olhar sobre a tão opressiva sexualidade,que depois dos anos 60,abriu um grande portal de aceitação ou de mudanças (é só olhar em volta)hoje temos as conquistas dos direitos civis dos gays etc..(antes visto como um mundo obsceno e sujo).Avançamos.Maravilha!Concordo que o corpo é poder do individuo e só ele pode dizer o que gosta ou não!mas,entre o dono do seu corpo e do abuso do outro a fronteira é estreita.Qualquer imposição é abuso.O sistema capitalista transforma tudo em LUCRO,até o sexo seja de que forma for.Esta liberalidade não pode significar o abuso :pornografia infantil,por exemplo.Somos caretas por não concordar?Pasolini fez os 120 Dias de Gomorra e outros filmes com esta temática:Prazer sexual até ao Sado-masoquismo.Ele relacionava o sexo como poder patriarcal,e este sempre aliado ao poder perverso.O homossexualismo ou o Heterossexualismo,tem por base o prazer e a força sexual,se não domesticadas as forças se tornam não construtivas mas sim destrutivas e isso de forma política ,e isto se institucionaliza na família,na religião.O legado do sexo-patriarcal (falocrático) é de domínio,posse.O prazer como fonte de poder fascista:religioso,político,familiar– se deixado sem controle esbarra na promiscuidade de poder absoluto,transformando o outro num objeto de posse e prazer particular(domínio). Ao Discutir prazer e sexo não podemos esquecer as pulsões ditas por Freud.O instinto como garantia de força de reprodução e poder (são suas marcas).Assim,querer uma liberalidade sexual absoluta é aceitar as formas de posse do mais forte sobre o mais fraco.é preciso que haja equilíbrio de forlça no prazer(permissão dada e não roubada)isto assim é um estupro! NA questão da estética física:beleza(padrão) é um subproduto do capitalismo mercantilista que vê o corpo como uma necessidade de exploração:a beleza tal exige uma estética tal e assim todos devem compra-la:aí vende-se cosméticos,revistas,roupas,ídolos! Os feios são rejeitados(compete a eles então se transformarem em belos pela maquiagem e copia);não envelhecer(cirurgias plásticas )prova isto.Compete mudar os critérios desse comercio,desvalorizando a estética desse belo imposto.Hoje vemos o belo negro,latino,mestiço e não só o branco nórdico,saxão! Para liberar o sexo não como um objeto a ser consumido(caso das prostitutas);que aceitemos os diferentes,para tanto, os diferentes terão que assumir-se diferentes:no sexo,na beleza(ou feúira)e estar bem com sua figura,isto desarma o sistema que impõe um padrão discriminatório!As diversidades estão se assumindo e o sistema incorporando.Empresas já se antecipam as leis em nome da sua boa imagem de modernas! Este aceitar as diferenças possibilida uma nova leitura do ser,do prazer e ,creio,estabelece o equilíbrio do prazer como forma de direito e não de exclusão(objeto proibido do desjo).Ocultar,provoca as perversões. Se Hoje podemos ver que os deficientes estão na luta:se projetam nas competições,se expõem ,são visíveis,isto obriga o Sistema a ser menos preconceituoso e excludente nas ordens sociais que englobam as diferenças humans.Belo ver isso.O sistema abre espaço(ainda que querendo tirar partido)vendendo alguma coisa em proveito próprio.Mas,a aceitação de ser diferente é o que muda as cabeças e isso não precisa ir a abjeta sensação de se estar sendo dominado,fazer concessões ordinárias para ser aceito(o sexo não vive só da sua exploração suja e obscura)para os gigolôs,cafetinas,exploradores do sexo desumanizado. Nao poderei nunca aceitar que pornografia infantil é liberdade,vejo-a como uso e abuso de força e exploração sobre os mais frágeis e pobres.Se for assim,vamos deixar os abusados abusarem e passarem impunes!Se você é maior e vive sua liberdade sem oprimir,seja feliz!Mas...muita coisa para mudar antes em nossas cabeças possessivas e onde prazer sempre significa dominaçao. Mas este debate já é um caminho por mais esquisito que pareça certas colocações.


lieggeni
2008-05-19 22:56:18

Por uma pornografia livre

Mais um lixo prolixo esquerdóide


javali
2008-05-14 14:13:16

Por uma pornografia livre

O texto não choca nem um pouco. Pelo contrário, é banal. Sexo é pra se fazer, sem muito blablabla, sem toda essa frivolidade.



2008-05-13 19:44:09

Por uma pornografia livre

Queridos
Mais um manifesto anárco-revolucionário que vocês lançam nesse tão democrático espaço e as vovós de todo o brasil devem estar chocadíssimas com tamanhas barbaridades apontadas nessa missiva utópico-rizomático. Talvez Dna Judith Buttler os adotasse como seus mais diletos discípulos na cruzada contra a dominação obscena dos falos eretus do macho branco ocidental...mas talvez vocês ainda não sacaram o mundo ao qual vivem. Em tempos de neoliberalismo individualista e, em países com economias sólidas, pouca gente se importa realmente como o que os outros fazem ou farão com seus orifícios, pirocas e coisa e tal. Talvez haja uma nostalgia da interdição (a vovó está se abanando ainda...)pois nada como uma bela represão para manter viva as chamas do desejo...mas, bem, acho que não é por aí. Aceitamos de bom grado toda e qualquer anormalidade (em termos de curva normal, por assim dizer)e inclusive lutamos para que todos os "freaks" desse planeta tenham direito ao seu sagrado gozo, venha ele de onde vier. Seria bom, talvez, que vocês alertassem a população da arábia saudita para os seus direitos sexuais alienados por religiosos despóticos. Mas aqui, meus caros, talvez seja um discurso um pouco vazio...lembrem-se de que "não existe pecado do lado debaixo do equador", como bem cantava o nosso Ney Matogrosso, esse sim um autêntico transgressor. Enfim, gozem, gozem muito e com todos os recursos que livres pensadores de países democrático garantem à vocês. Mas sejam menos, por assim dizer...radicaizinhos, né?
Beijos lúbricos e obscenos!!



2008-05-13 18:26:39

Por uma pornografia livre



2008-05-13 16:22:40

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.