Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Caetano Veloso, 80: O avesso do avesso do avesso

» 5 de agosto de 2022

» Revolução sexual, projeto feminista

» O dia em que Caio Prado aportou em Buenos Aires

» Ucrânia: as dores que o Ocidente não vê

» Por que aliar a saúde pública e às lutas ecológicas

» Em busca das origens do declínio ocidental

» 4 de agosto de 2022

» Boxe e escravidão: a história de Tom Molineaux

» Cinema: A arte brasileira sitiada num show de horrores

Rede Social


Edição francesa


» L'Europe en retard d'une guerre industrielle

» La naissance de Dracula

» Un barrage peut en cacher un autre

» Quand le bio dénature le bio

» CFDT, un syndicalisme pour l'ère Macron

» La Palestine, toujours recommencée

» Prêcher la haine au nom du Bouddha

» Petite histoire des grands moments de la science-fiction

» Au Japon, fausse audace économique, vrai nationalisme

» Quand une respectable fondation prend le relais de la CIA


Edição em inglês


» America's ageing nuclear facilities

» Julian Assange, unequal before the law

» Wuhan: the Covid diary

» The high price of becoming a student in Russia

» Why Parisians fear and loathe Saint-Denis

» Kosovo's problematic special status

» Summer in Moldova: will the party have to stop?

» Three little letters the world came to hate: IMF

» Will the FARC accords finally work under Petro?

» A tiny piece of Palestine, not quite forgotten


Edição portuguesa


» Dos lucros dos oligarcas aos vistos dos pobres

» Em defesa da água e do futuro do Algarve

» A escrita delas, África em Portugal (ou Donde sou)

» Vozes femininas e o livre imaginar

» O Comité de Salvamento Privado

» A burguesia francesa recompõe-se em Versalhes

» Que país pode ser independente?

» O fim do desencanto para os ex-guerrilheiros?

» Acarinhar Pinochet, destruir Assange

» Ardósia mágica


Comentários sobre esse texto:

Queer: política sexual do noise

interessante, se os "entendidos" não ficassem magoados e tivessem o trabalho de ler a analogia e entender o argumento do autor.
a atitude de quem busca pelo reconhecimento e respeito à sua opção sexual é a mesma da lógica da entropia. derrubam-se os padrões, os tabus, se incentiva à comunidade repensar seus papéis e relações erótico-afetivas. a entropia passa a ser harmonia.


roberto quintas
2009-07-22 12:14:20

Queer: política sexual do noise



2008-08-11 18:56:07

Queer: política sexual do noise

Blá, blá, bká, somos gays ou lésbicas....só isso e qual é o problema??toda esa verborréia para circular em torno do proprio umbigo e das suas sagradas questões de identidade mal resolvidas...ah, lambidinhas, ah, mordidinhas, puxa, sobra grana e falta cabeça no sentido de ser tão hedonistinha para achar que essas baboseiras interessam qualquer pessoa que esteja fora do guetinho sagrado daqueles que ainda não ultrapassaram a fase da curiosidade sexual infantil...quanta dispersão para afirmar apenas que se gosta de pessoas do mesmo sexo, algo que na história do mundo é bastante comum e nada tem de revolucionário ou o que quer que seja. E dá-lhe Deleuzes, Judith Buttler e todos os clichês porno-gays da atualidade...cansativo, mas muito engraçado ao mesmo tempo...


Paulo Pacheco
2008-08-02 20:00:55

Queer: política sexual do noise

Excelente!

Me dá vontade de voltar a ter esperança de caos e liberdade, de naturalidade e de ver as transformações sociais...
Parabéns!


Tuca
2008-07-26 22:54:34

Manifesto em favor das TransTransas

Que brilhem as cores do arco-íris, todas as dissonâncias à ordem sexual que regula o que temos que desejar em nome de uma imagem do que é uma fricção de corpos aceitável. Essa ordem sexual é feita com a exclusão repetida dos desejos que saíram pela culatra, com o menosprezo a todos os corpos moldados por histórias de vida diferentes, com a repressão a tudo o que é degenerado porque não obedece cegamente aos fascismos de gênero. Que brilhem as dissonâncias, que possamos transitar pelas categorias discriminatórias e encontrar nesta universidade:

· bibliotecárias travestis, · professoras transexuais, · grupos de estudantes que nasceram de vagina jogando truco e exibindo os músculos e o volume entre as pernas, · reitores hermafroditas, · decanos decidindo que na semana que vêm serão decanas, · diretoras que se vestem como os diretores, · funcionárias que nasceram com a mesma genitália das funcionários

e toda a dissonância que a ordem sexual estabelecida (que é econômica, bem entendido) joga nas ruas da prostituição e depois arranca das ruas da prostituição para produzir uma cidade hetero-asséptica. E as pessoas que nasceram, cresceram, pagaram impostos e tiveram a força de um desejo intenso que ultrapassa até o desejo tão disseminado de conformar ficam sem ter o que comer, onde morar, como continuar vivendo com seus desejos estrondosos (e escandalosos).

Por isso declaramos que:

- queremos universidade para todos, para todas e também para quem não quer ser parte dos todos e das todas. - queremos mais dissonância, menos repetição, mais mutação, menos padrão. - exigimos que nossas admiradas companheiras de transe, de trânsito e de transição possam ganhar seu dinheiro para a feira pelo menos com os recursos frágeis que os regimentos e hetero-mandamentos permitem. - temos direito a não sermos reféns de uma compreensão direitista e marcada por conceitos prévios que dita: vulnerabilidade significa ser menos. - mas não é unicamente pelo direito de amar e trepar ou "amar ou trepar", encontrar, friccionar, alisar, lamber, mordiscar de maneira torta, quasi-torta, semi-torta, mas pelo desejo de fazer isso pra expandir, até a explosão, as maneiras conformadas de nos misturarmos. - então saímos pela tangente de padrões que opõem força à vulnerabilidade e estão ligados a concepções fixas (fixações) do que é mais ou menos feminino, pouco ou muito masculino, errado, certo, bonito-feio, asséptico-sensual apreensível-ou-abominável ("tsc tsc tsc").

COLETIVO DISSONÂNCIA TÁTICA

pedaço de CorpusCrisis


Site: http://confabulando.naxanta.org/ind...
efêmerx
2008-07-25 18:18:13

Queer: política sexual do noise

demais....

subversivo...atentador....irritante...

diante dos textos esquizotrans não há como manter a inércia...seja para qual lado vc se mexa...

demais!!

hábraços


pequena salomé
2008-07-24 15:15:49

Queer: política sexual do noise

Puáááááaááááá, quanta bobagem!



2008-07-24 04:52:43

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.