Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 24 de setembro de 2021

» Dissidência jovem no coração do sistema

» Ainda não acabou: o mal-estar na pandemia

» Para entender as três crises do Haiti

» Uma cineasta à altura dos desafios de nosso tempo

» 23 de setembro de 2021

» Evergrande: falência e oportunidade na China

» Tecnologia e política para reconstruir mundo em ruínas

» Cinema: Aranha e nossas raízes fascistas

» 22 de setembro de 2021

Rede Social


Edição francesa


» Émergence de l'Asie sur la scène scientifique

» Singapour, Malaisie, Indonésie : triangle de croissance ou triangle des inégalités ?

» Les rêves déçus et la colère rentrée des harkis

» Conflits d'usages en mer Baltique

» Autocritiques cathodiques en Chine

» L'Australie séduite par la Chine

» Que faisons-nous en Irak ?

» De la mer en partage au partage de la mer

» La Russie à la conquête du Grand Nord

» Batailles pour le partage de la mer de Chine


Edição em inglês


» China's post-communist Communist Party

» The Manet effect

» The race to be German chancellor

» September: the longer view

» Meandering through Paraguay

» Don't expect tech giants to build back better

» Long hot nights on the Paraguay river

» Can Pedro Castillo unite Peru?

» Tensions mount over Yemen's contested islands

» Hungary's Fidesz builds a parallel state


Edição portuguesa


» O mundo em mutação e o Estado - em crise?

» Edição de Setembro de 2021

» Transformação e resiliência

» O caminho de Cabul

» Edição de Agosto de 2021

» Ditadura digital

» Desigualdades digitais

» O direito à alimentação no mundo continua por cumprir

» Filho da Preguiça

» Boca de Cena


Comentários sobre esse texto:

Para ir além de minérios e agronegócio

Quem já pesquisou editais do Minc, escreveu roteiros de documentários e enviou os projetos para Brasília sabe muito bem o que é viver um drama.
Para quem não tem formação em Adminstração de Empresas, não fala "jurisdequês" e não tem curso de contabilidade, os editais são obras de difícil entendimento.
Então, você tem a história, o tema; todas as possibilidades de fazer o documentário e monta o projeto; mesmo com todas as dificuldades. Depois de meses, o pessoal de Brasília não te dá satisfação, você não sabe se sua história é ruim ou se montou o projeto errado. Simplesmente não te respondem. Parece até que isso é proposital, para você recorrer as assessorias especializadas em montagem de projetos culturais e que ficam com uma comissão da verba do Minc.
Parece que tem de ter uma super estrutura junto com o autor para que o tal projeto fique "de acordo com as normas vigentes".
Dane-se o tema, dane-se a história, o importante são as regras da ABNT?


Tobias Ferraz
2008-07-15 12:43:36

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.