Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Mudar o mundo sem desprezar o poder

» Seria a Medicina moderna uma ilusão?

» Pós-capitalismo na era do algoritmo (1)

» Uma “potência acorrentada”

» Sobre jeans, trabalho insano e folia

» Sobre jeans, trabalho insano e folia

» A política como arte do impossível

» O enigma da sobrevivência neoliberal

» Violência policial: o problema não está nos soldados

» Eleições na Bolívia: o que está em jogo?

Rede Social


Edição francesa


» L'ordre mondial selon John Maynard Keynes

» L'offensive des intellectuels en Iran

» Les charniers de Franco

» Sabra et Chatila, retour sur un massacre

» La résistance de George Orwell

» Mémoires et malmémoires

» Keynes, ou l'esprit de responsabilité

» Un milliardaire à l'assaut de la Maison Blanche

» Comment les sociétés multinationales du textile renforcent leur emprise sur le marché mondial

» À la recherche des « disparus » d'Algérie


Edição em inglês


» July: the longer view

» An interview with Franco ‘Bifo' Berardi

» Learning the lessons of the Arab Spring

» May 2019 parliamentary election

» A religious map of India

» Universal access to care

» Benin's fight against tuberculosis

» Towards an equal and healthy Africa

» Ivorians mobilise against AIDS

» Health for all, a global challenge


Edição portuguesa


» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu


Comentários sobre esse texto:

Viagem com o Submarino Vermelho

Muito bom o papo! Fico feliz de ver que, tanto cineastas, artistas plásticos e, por quê não?, os jornalistas que fizeram a matéria, conseguem extravasar os limites que suas respectivas linguagens lhes impõem. Conhecendo de perto o coletivo, posso afirmar que eles têm um longo caminho a percorrer, muitos projetos a serem concretizados e, sobretudo, uma porção de questionamentos a serem praticados. A idéia de romper com a pasmaceira, inércia crônica dessa nossa geração, através da arte, não é tarefa fácil. Incorporar a percepção de que a ação pode estar além das assembléias vazias, de reuniões eternas e de métodos que a gente nem explica o porque os adotamos, é parte fundamental no processo de transformação.
Submarino Rojo, como eu gosto de chamá-los, pode ser o Canil, o Porão, as ocupações, o Procura-se, o Eixo-do-Mal, não importa, estão todos aí pra mostrar a parte viva e não mítica do que foi 68.

Simbóra que falta muito!

Raiana Ribeiro


Raiana Ribeiro
2008-10-08 20:35:53

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.