Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 29 de novembro de 2021

» Breve nota sobre a futilidade do sucesso

» Paulo Freire e a aposta na comunicação libertadora

» Pochmann: do colonialismo mental ao tecnológico

» 26 de novembro de 2021

» Mundo em desencanto: a alternativa do Comum

» Da tabelinha futebol e literatura sai gol de letra

» A potente imaginação política do Teatro Legislativo

» O tempo de tecer comunidade

» Somos todos cavalos

Rede Social


Edição francesa


» Mirages verts et sobriété californienne

» Harry Potter expliqué aux parents

» Revendications et occupations en mer de Chine méridionale

» Le Vietnam

» De la décolonisation à la troisième guerre du Vietnam

» Diaspora vietnamienne

» Vietnam, comparaisons régionales

» La libération inachevée des Afro-Américains

» L'apparition d'un nouveau type d'homme

» Une flammèche obstinée a embrasé la Guadeloupe


Edição em inglês


» Iraq's great divides

» China is open for investment

» Colonial accountability in Niger

» In search of luxurious communism

» November: the longer view

» The carbon balance

» CO2 emissions around the world

» What's in a phone?

» If only Assange had been Navalny

» India's silent but deadly killer


Edição portuguesa


» Edição de Novembro de 2021

» O tecto de vidro europeu

» E a Grécia volta a ser exemplar

» Edição de Outubro de 2021

» Um império que não desarma

» Convergir para fazer que escolhas?

» O mundo em mutação e o Estado - em crise?

» Edição de Setembro de 2021

» Transformação e resiliência

» O caminho de Cabul


Comentários sobre esse texto:

Viagem com o Submarino Vermelho

Muito bom o papo! Fico feliz de ver que, tanto cineastas, artistas plásticos e, por quê não?, os jornalistas que fizeram a matéria, conseguem extravasar os limites que suas respectivas linguagens lhes impõem. Conhecendo de perto o coletivo, posso afirmar que eles têm um longo caminho a percorrer, muitos projetos a serem concretizados e, sobretudo, uma porção de questionamentos a serem praticados. A idéia de romper com a pasmaceira, inércia crônica dessa nossa geração, através da arte, não é tarefa fácil. Incorporar a percepção de que a ação pode estar além das assembléias vazias, de reuniões eternas e de métodos que a gente nem explica o porque os adotamos, é parte fundamental no processo de transformação.
Submarino Rojo, como eu gosto de chamá-los, pode ser o Canil, o Porão, as ocupações, o Procura-se, o Eixo-do-Mal, não importa, estão todos aí pra mostrar a parte viva e não mítica do que foi 68.

Simbóra que falta muito!

Raiana Ribeiro


Raiana Ribeiro
2008-10-08 20:35:53

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.