Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 12 de agosto de 2022

» Nos arquivos soviéticos, a vida real sob Stálin

» Propostas agroecológicas para o novo governo Lula

» Crônica: Influências

» Conversas entre a psicanálise e a terapia psicodélica

» Ab’Sáber: Caetano Veloso do transe à transa e depois

» 11 de agosto de 2022

» O capitalismo à beira da Grande Estagflação

» Entre ver estrelas e apagar pessoas

» Os possíveis estertores do neoliberalismo autoritário

Rede Social


Edição francesa


» Pathologies de la démocratie

» Vote Le Pen, une bataille de proximité

» L'Afrique du Sud lassée de ses libérateurs

» Le rêve américain au miroir du basket-ball

» Minsk se rebiffe contre le grand frère russe

» L'agriculture biologique dans l'Union Européenne

» Retrouver le rire de Bertolt Brecht

» En campagne avec les troupes de Jeremy Corbyn

» Au Chiapas, la révolution s'obstine

» Profession : député


Edição em inglês


» America's ageing nuclear facilities

» Julian Assange, unequal before the law

» Wuhan: the Covid diary

» The high price of becoming a student in Russia

» Why Parisians fear and loathe Saint-Denis

» Kosovo's problematic special status

» Summer in Moldova: will the party have to stop?

» Three little letters the world came to hate: IMF

» Will the FARC accords finally work under Petro?

» A tiny piece of Palestine, not quite forgotten


Edição portuguesa


» Dos lucros dos oligarcas aos vistos dos pobres

» Em defesa da água e do futuro do Algarve

» A escrita delas, África em Portugal (ou Donde sou)

» Vozes femininas e o livre imaginar

» O Comité de Salvamento Privado

» A burguesia francesa recompõe-se em Versalhes

» Que país pode ser independente?

» O fim do desencanto para os ex-guerrilheiros?

» Acarinhar Pinochet, destruir Assange

» Ardósia mágica


Comentários sobre esse texto:

De quando a literatura se despede de suas histórias

Fábio, muito obrigada pelo comentário. Tenho esperança que de os escritores de uma maneira geral encontrem um equilíbrio.

Mario, obrigada também pelo comentário. Eu não tenho ojeriza aos seriados, muito pelo contrário: gosto e acompanho alguns. O que quis dizer mais ou menos é que os roteiristas encontram mais equilíbrio do que os escritores (no caso do meu texto, o exemplo foi os brasileiros de uma forma geral, como disse para o Fábio). Não quis generalizar de forma alguma, espero que tenha ficado claro. Se fosse esta a minha intenção, indicaria, com certeza, que eu não embasei muito bem minhas opiniões. Já o fato de eu não querer citar nomes, como neste comentário, é para evitar brigas desnecessárias. E o texto não pede identificações também. O problema é que vejo alguns escritores se importando mais em enfeitar seus textos do que em escrevê-los de fato. Mas não ataquei nada, só quis colocar em debate mesmo. Como disse o Fábio, foi uma reflexão apenas. E sobre o "literatura não é para qualquer um", na verdade quis criticar a confusão que as pessoas fazem em relação a acesso e compreensão de qualquer arte.

Abraços.


Renata Miloni
2008-11-20 21:13:46

De quando a literatura se despede de suas histórias

Renata,
Achei que você poderia embasar melhor suas opiniões. Compartilho com você a mesma ojeriza aos seriados televisivos. Mas considero que simplesmente atacar o bordão "literatura não é para qualquer um" não esmiúça os sérios problemas de acesso a bens culturais em nosso país; pode soar, como a mim soou, o reverso da moeda de "nivelar por baixo". Tampouco compreendi seus ataques vagos aos supostos autores brasileiros que fazem o samba-de-uma-nota-só de um sentimento qualquer; você poderia nos fornecer um exemplo de um autor significativo do nosso repertório que recaia nesse método?
Obrigado,
Mario


Mario Pugliese
2008-11-19 20:50:29

De quando a literatura se despede de suas histórias

Renata, excelente reflexão. É o que tenho notado faz tempo. Talvez apenas a literatura dita de "entretenimento", como dizia mestre José Paulo Paes, que no entanto dizia isso com todo o respeito ao tratar da ficção científica e do romance policial, possa sair desse impasse sofredor e voltar à bela arte da contar histórias.

Parabéns pelo texto.


Site: Fábio Fernandes
Fábio
2008-11-14 18:53:04

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.