Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 30 de novembro de 2021

» Elogio à pedagogia dos filmes de terror

» O apartheid vacinal e o vírus que nos devora

» 29 de novembro de 2021

» Breve nota sobre a futilidade do sucesso

» Paulo Freire e a aposta na comunicação libertadora

» Pochmann: do colonialismo mental ao tecnológico

» 26 de novembro de 2021

» Mundo em desencanto: a alternativa do Comum

» Da tabelinha futebol e literatura sai gol de letra

Rede Social


Edição francesa


» Mirages verts et sobriété californienne

» Harry Potter expliqué aux parents

» Revendications et occupations en mer de Chine méridionale

» Le Vietnam

» De la décolonisation à la troisième guerre du Vietnam

» Diaspora vietnamienne

» Vietnam, comparaisons régionales

» La libération inachevée des Afro-Américains

» L'apparition d'un nouveau type d'homme

» Une flammèche obstinée a embrasé la Guadeloupe


Edição em inglês


» Iraq's great divides

» China is open for investment

» Colonial accountability in Niger

» In search of luxurious communism

» November: the longer view

» The carbon balance

» CO2 emissions around the world

» What's in a phone?

» If only Assange had been Navalny

» India's silent but deadly killer


Edição portuguesa


» Edição de Novembro de 2021

» O tecto de vidro europeu

» E a Grécia volta a ser exemplar

» Edição de Outubro de 2021

» Um império que não desarma

» Convergir para fazer que escolhas?

» O mundo em mutação e o Estado - em crise?

» Edição de Setembro de 2021

» Transformação e resiliência

» O caminho de Cabul


Comentários sobre esse texto:

A nova arte da Cooperifa

Política pública na cultura é política pública de financiamento. Podem dizer que o governo escolhe o que vai financiar, o Gilberto Gil financiou um circo internacional e não deu nada para os brasileiros suburbanos, e isso comprova que o governo financia e escolhe o que vai ser financiado, e se é justo ou não são outros quinhentos, vai do estômago do ministro da cultura aceitar ou não a identidade que lhe deram, ser imparcial com uns ou parcialmente favorável a outros. O Gilberto Gil saiu do ministério para fazer turnê, e não teve gritaria contra isso, todo mundo ficou sorrindo para ele e sua inércia no mundo cultural. Tem muito mais coisa aí, não é só questão de ausência de política pública na periferia.



2008-12-09 21:22:22

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.