Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Como a Estônia concretizou o passe livre

» Marielle Vive! e a lógica do condomínio

» Quando os ditadores despencaram da parede

» Dois caminhos para as Novas Ciências

» Paulo Guedes pego na mentira

» Depois do senhor Guedes e de seu capitão

» Amazônia: caminho para o pós-Bolsonaro

» Tarifa Zero, a experiência europeia

» Marielles na Amazônia: apontar, fogo!

» Na África do Sul, a xenofobia não tem cor

Rede Social


Edição francesa


» Richesse et population, un monde à double face

» Machines hostiles

» Refaire le monde à coups de bistouri

» Libye, l'appel du devoir

» La gauche française bute sur l'Europe

» Fédéralisme à l'allemande et évolutions politiques

» « Métro, boulot, tombeau »

» Plus haute sera la prochaine tour

» Le Media Lab aux avant-postes du cybermonde

» Echec à la corruption au Brésil


Edição em inglês


» The logs of war

» Benjamin Netanyahu, best friend of the far right

» September: the longer view

» Afghan peace talks: Trump tweets, Taliban fights

» An inexhaustible myth in times of extreme adversity

» What happened to social solidarity?

» Sudan: conflict, violence and repression

» Russia's appointed billionaires

» Another end is possible

» Arms sales: the Swedish model


Edição portuguesa


» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019


Comentários sobre esse texto:

Estrangeiros para nós mesmos

Reportagem radiofônico em duas partes sobre este assunto no link abaixo (selecionar "Eloignement forcé 1, e depois o 2"... em francês.
Este programa de radio colabora com o Diplô.


Site: Eloignement forcé
cyril
2008-12-28 21:42:25

Estrangeiros para nós mesmos

Impossível a neutralidade do humanitário! Impossível a neutralidade de qualquer ato humano! Nem Jesus foi neutro e por isto lutou pelos pobres!

Já algum tempo venho pensando a respeito da migração e acredito que se não existisse esta privação do direito de ir e vir entre os territórios, o vigente artigo seria obra da ficção. Assim como é ficção "Admirável Mundo Novo" de Aldous Huxley; como é ficção o filme "Fahrenheit 451"...Entretanto, as ficções vão se tornando realidades.

Não deixe de visitar:
http://osbosques.blogspot.com/


Site: http://osbosques.blogspot.com/
Gustavo Ferreira
2008-12-26 22:17:56

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.