Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» Et Napoléon III a choisi le libre-échange

» Population du Sri Lanka

» Les damnés de Las Palmas

» Vers une recherche pharmaceutique sans brevets

» Le manifeste qui a failli changer l'Amérique

» Hummocks, sentinelles de notre planète

» Gaz et litige frontalier

» Diaspora libanaise

» Liban : comparaison régionales

» Communautés religieuses au Liban


Edição em inglês


» Back to the JCPOA?

» China's outlaw armada

» Timidity in New Zealand

» November: the longer view

» The defeats of Golden Dawn

» Border tensions

» China: its rise and rise

» China leads the 5G race

» South Korea's feminists fight back

» The biosecurity myth


Edição portuguesa


» Ofereça uma assinatura de 6 meses, apenas €18

» Edição de Novembro de 2020

» A máquina infernal

» Requisição civil

» Um resultado que ninguém aceitará

» Edição de Outubro de 2020

» Distâncias à mesa do Orçamento

» Falsas independências

» Trabalho na cultura: estatuto intermitente, precariedade permanente?

» RIVERA


Comentários sobre esse texto:

50 anos de Formação econômica do Brasil

Brilhante síntese da obra de Celso Furtado. Na leitura que fiz de Formação Econômica me pareceu que o desenvolvimento econômico brasileiro ocorreu quase ao acaso histórico. No entanto, a percepção dos interesses sociais que criaram este fenômeno permite planificar o futuro.
É preciso reconhecer as lacunas econômicas deixadas por esse processo histórico, entender como a política serviu (e serve) os interesses das disputas entre as elites econômicas, qual o verdadeiro grau de influência das potências hegemônicas na economia brasileira e as consequências positivas e fracassadas das medidas tomadas pelas autoridades monetárias no passado.
Esse arsenal teórico é disponibilizado sinteticamente e magestosamente pela obra de Celso Furtado.


Eduardo Vianna
2009-01-06 14:24:21

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.