Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 20 de maio de 2022

» O impasse da democracia e o dilema feminista

» Como o patriarcado engole a democracia

» O modernismo a contrapelo – em exposição e livro

» Argentina: a potência das cooperativas de plataforma

» 19 de maio de 2022

» O mundo à beira da grande crise alimentar

» O que o Brasil pode perder sem a Eletrobras

» A distopia trabalhista da Amazon

» Cinema: A arte de observar a poesia das miudezas

Rede Social


Edição francesa


» Mario Vargas Llosa, Victor Hugo et « Les Misérables »

» Des médias en tenue camouflée

» Jénine, enquête sur un crime de guerre

» Le monde arabe en ébullition

» Au Proche-Orient, les partis pris de la Maison Blanche

» L'abolition du territoire

» Regard sur Sarajevo

» Les progrès du libéralisme économique à Sri-Lanka

» Le marché du blé pourra-t-il être codifié par un nouvel accord international ?

» Le président Marcos allié gênant et retors des États-Unis


Edição em inglês


» Lebanon: ‘Preserving the past in hope of building the future'

» May: the longer view

» Fragmented territories

» A clash of memories

» Alsace's toxic time bomb

» The poisonous problem of France's nuclear waste

» Can Medellín change its image?

» Venezuela: a ‘country without a state'

» The urgent need to preserve Lebanon's past

» French troops forced to withdraw from Mali


Edição portuguesa


» Morrer em Jenin

» Recortes de Imprensa

» Será a caneta mais poderosa do que a espada?

» A Hipótese Cinema

» Um projecto ecofeminista em Aveiro

» David Bowie em leilão

» Como Pequim absorveu Hong Kong

» Na Colômbia, o garrote Medellín

» Face ao colapso, o Líbano quer preservar a sua memória

» Continua a Inglaterra a ser britânica?


Comentários sobre esse texto:

Pró-colabore!

sinceramente... não entendi a tua crítica. em primeiro, não se trata de uma pequena parcela da sociedade. Trata se de uma tendência inexorável. by the way... o virtual é real. Did you get it?


hdhd
2009-02-18 14:55:25

Pró-colabore!

engraçado, numa publicação com o le monde não há comentários sobre o texto do hernani?
Bem, talvez seja interessante ir com mais calma quando o autor parece pegar num supetão as novas tecnologias e disponibilidades das sociedades para agruparense em torno de um sistema operacional/idéia/revolução. Primário né véi! Compreender que o que conduz uma pequenina parcela da população global informatizada a optar por programas/idéias livres quer antes de nais nada dizer que era nego que compartilhava e ainda compartilha da idéia da internet livre, onde as ordenações do estado-capital não devem preponderar. Que as regulamentações impostas pelas empresas-governos são m*rda. Não há um marco/raiz Linux nessa estória, é preciso saber ir além como a idéia de rizoma para citar rizoma, não basta ter umas referênciaszinhas e querer dar conta do outro, ou de si, como inputado num modelo de ser que fabrica sociedade e mundo graças a um programa para computador, a rede pode sugerir um rizoma, não o é enquanto tal. A rede, maquina, permite possibilidades de ações para um grupo social que se localiza, se define, se quer encontrar e não pressupõe um futuro geral para todos. Não seja ingênuo ou como alguns gostam de dizer utópicos. Get real, cara.


mcbrava
2009-02-10 02:42:22

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.