Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 24 de junho de 2022

» Varoufakis: por que a inflação voltou

» A reencarnação prismática do Ulisses

» Poderá a técnica salvar o patriarcado?

» 23 de junho de 2022

» Por que direitos humanos não “pegam” nas polícias

» Erveiros e benzedeiras na linha de cura

» Equador: as razões da nova revolta

» Cinema: Corpo livre, corpo cativo

» 22 de junho de 2022

Rede Social


Edição francesa


» Tunisie : le triple déni des cadres déchus

» L'Ukraine se dérobe à l'orbite européenne

» Le Donbass apprend à vivre sans Kiev

» L'État de droit, une notion faussement neutre

» En Guyane, sous les pavés la Bible

» État d'urgence permanent

» De nouvelles routes pour le pétrole et le gaz

» Donald Trump s'épanouit en chef de guerre

» Le camp d'Hagadera au quotidien

» Les réfugiés, une bonne affaire


Edição em inglês


» June: the longer view

» Putting internal displacement on the map

» The Trans-Amazonian Highway

» Bosnia-Herzegovina: three intertwined histories

» Energy interdependence

» Consider the croissant: a history of food fraud

» Brazil's trans-Amazonian highway of fire and mud

» Fate of a Chinese colony

» Bosnia: coexistence without reconciliation

» Sinn Féin extends its reach to Ireland's South


Edição portuguesa


» Mapeamento de uma arte político-social: "Untitled", de Paula Rego

» Assembleia-Geral da Outro Modo

» O problema da riqueza

» «Sangrar a Rússia»

» Vulnerabilidades territoriais: o que se pode aprender com a crise pandémica?

» O paraíso da inovação militarizada

» Mineração em mar profundo: para quê destruir os fundos oceânicos?

» O lado oculto das cimeiras da Terra

» Viagem ao fim da Transamazónica

» A Finlândia e a Suécia rompem com o ideal nórdico


Comentários sobre esse texto:

Com Licença, sim?



2009-08-20 16:03:55

Com Licença, sim?

A matéria reproduz o pensamento predominante no meio acadêmico e dentre os inovadores em TI, em que se demoniza a Microsoft. Sem entrar no mérito das práticas dessa empresa monopolista, os jornalistas deveriam perceber a dogmatização do discurso do software livre e informar com insenção.

Essa materia deveria abordar a questão do custo, pois deixa a percepção que o SL não custa nada. Existem, sim, custos no SL, pois conhecer o sistema operacional, modificá-lo e mantê-lo por alguns anos tem um custo. Há, ainda, o aumento no gerenciamento de ativos e de configuração, pois dificilmente o SL substituirá em 100% o software proprietário.

Espera-se que o jornalista seja isento, neutro e que informe adequadamente o leitor para que este forme a sua opinião. Se for divulgar uma opinião, que seja claro quanto à ausencia de neutralidade.


Jorge Vaz
2009-07-27 21:40:41

Com Licença, sim?

Difícil de acreditar; Até mesmo uma matéria como essa, que nos parece isenta de interesses financeiros e pessoais, chega a ser questionada no âmbito da sua veracidade.
O agravante é que a crítica é constituída de argumentos muito bem elaborados, os quais possivelmente confundirá alguns.
O que nos resta saber é se foi escrita por algum ’’advogado’’ da parte ofendida, ou por inocência?



2009-07-26 02:24:08

Com Licença, sim?

Bom artigo. Eu uso linux (Ubuntu) há alguns anos e faço tudo que se diz que se faz com os outros sistemas (edição de foto e vídeo inclusive) e até mais (sem travar e sem vírus).


Site: Linux
JB
2009-07-21 17:35:22

Com Licença, sim?

A matéria é excelente. Sou formado em Ciência da Computação, BCC-USP, todos os meus colegas, inclusive eu, éramos vibradores do software ou licença livre. Contudo, na prática os softwares para a plataforma Linux deixam muito, ainda, a desejar. Sem falar da necessidade das empresas de ter um padrão para que possam comunicar-se entre elas. Alguém pode levantar a bandeira e dizer, isso é XML. Mas o usuário final só usa o browser e o Windows Office, também o Corel Draw. Infelizmente, o Office para Linux ainda é muito inferior ao da Microsoft. Eu acho que se investissem especificamente no Office o Linux poderia pegar mais.


Alexandre
2009-07-21 05:01:55

Com Licença, sim?

@alonso, entendo a sua preocupação com relação ao custo que é para uma empresa migrar para o software livre, pois é necessário personalizar algumas soluções que não vem pre-prontas e tem também que capacitar os funcionários que vão utilizar o sistema. Porém esse custo mais que se paga a médio e longo prazo não somente com a eliminação de custos de licença mas também com a criação de um mercado estável de sevirços de suporte e consultoria a software livre que por sua própria natureza é regulado pela competição entre os prestadores de serviços que têm liberdade para prover e melhorar qualquer solução que um concorrente venha a criar levando a um saudável mercado de soluções e não de prisões. Com produtos proprietários nós acabamos ficando presos a um fornecedor específico e o esforço de migração é inviável. Por isso que vivemos hoje num mundo de monopólios em que temos somente uma opção: um sistema operacional (Windows), um browser (Internet Explorer), uma suite de escritório (Microsoft Office), um editor de images profisional (Photshop). Desta maneiras as empresas se preocupam muito mais com a manutencão de seu monopólio, como vimos a Microsoft fazer muitas vezes, do que com a solução dos problemas do usuário. Só para lembrar que foi necessário um software livre competidor (o Mozilla Firefox) para que a Microsoft atualizasse seu browser já a versão 6 do IE foi lançada em 2001 e a 7 em 2006, 2 anos depois do lançamento Firefox, que em apenas 5 anos já está na sua versão 3.5 (o 5º lançamento).


Moisés Machado
2009-07-05 20:30:08

Com Licença, sim?

Parabéns pela reportagem abordando o Software Livre.
Em SP o governo também firmou parceria com a Microsoft. Tal parceria podemos chamá-la de adestramento. A intenção dessa empresa não é outra senão a manutenção do seu nome e sua imagem na mente dos usuários. O gov brasileiro peca quando não dá apoio na divulgação e uso do Linux, ou de outra plataforma de Código aberto. Aqui na Konlinux usamos o Slackware desde 2000 e temos tido uma resposta além do esperado em razão da leveza do Linux, da robustez, da liberdade que temos de adaptá-lo ao nosso uso, copiar e distribuir. Esperamos que o gov brasileiro seja e continue a ser um exemplo na America do Sul, onde os impostos devam ser economizados para gerar tecnologias, emprego e renda e não serem exportados em forma de pagamento de Royalties. Parabéns mais uma vez pela reportagem. Darcy


Site: Com Licença Sim
Darcy
2009-07-05 15:10:04

Com Licença, sim?

A abordagem deste assunto é interessante e válida se pensarmos no usuário final.

No entanto se você refletir como uma empresa, diria que existem muitos outros pontos que devem ser observados como: o custo de manutenção do software dito livre (OPEX), a questão da transferencia do risco operacional, do custo de propriedade (TCO).

Se você olhar alguns estudos sobre este tema com enfase nestes pontos que coloquei, vai ver que apesar de um "pseudo" custo zero (0) de implementação (CAPEX) o que não é verdade, visto que no fim das contas bons profissionais de ambas as áreas cobram muito e os de software livre costumam a cobrar mais, e o custo de operação e manutenção, além do acesso a informação, que para o usuário final, pode até ser simples, mas para uma empresa que tem um departamento de TI com rotatividade de funcionários o custo operacional e do conhecimento pode tornar a economia inicial bem cara em alguns casos.

Não estou dizendo que cada uma das soluções não tenha seus méritos e seu espaço, mas que essa história de software livre é mais barato, e melhor é um ponto de vista que não se segura sem uma argumentação explicita sobre:

Mais barato em que situação?

E para que uso/finalidade?


Alonso.
2009-06-19 20:10:02

Só para responder o Armando

Armando,

O que existe na prática do Software Livre é uma hierarquização do aprendizado muito forte. Em outras palavras, para cada nível de questionamento, existe um canal apropriado, apesar disso não ser muito claro e divulgado. Se não temos uma amigo ou amiga que nos ajude no início dessa aventura que é usar software livre, se não queremos pagar por um suporte para isso, só nos resta a comunidade livre da internet. O essencial é descobrirmos como ela funciona. No mundo do software livre o esforço pessoal é muito reconhecido. Se você nunca usou software livre e entra numa lista de emails fazendo perguntas de quem não faz idéia de como as coisas funcionam, você pode ser solenemente ignorado. Mas caso, você tenha entrado em sites, lido guias e já tenha uma bagagem mínima para fazer uma pergunta que faça sentido, é muito mais provável você encontrar respostas em fóruns e listas.
Lembre-se, o esforço é fundamental, e a internet tem muito material disponível para leitura sem que seja necessário o contato com outros usuários.
Ex.:
http://focalinux.cipsga.org.br/gol.html
http://www.ubuntu-br.org/comece


Site: Mundo Livre
Gutemberg Motta
2009-06-19 15:27:45

Com Licença, sim?

A matéria é boa, mas se circunscreve ao âmbito do discurso bonito dos defensores do SL - na sua maioria iniciados em TI - mas que na prática não fazem muito esforço para a democratização da informação sobre o seu uso para o usuário comum, leigo na matéria, sem militância nem vinculado a grupos e movimentos organizados.
Me inscrevi num grupo do Fórum Internacional de Software Livre na internet - que inclusive é realizado aqui em Porto Alegre - postei mensagem pedindo orientação de como obter maiores informações sobre o uso do Linux e não tive nenhuma resposta.
Fico me perguntando se não há algum tipo de apropriação política desse processo obstaculizando a sua real democratização. O que daria ao cidadão comum, por exemplo, maior handicap para reagir a medidas como essa do governador da Bahia, fazendo acordo com a Microsoft, na contramão da bandeira da inclusão digital, que não pode prescindir do SL. É a já velha e conhecida separação - pra não dizer o abismo - entre o discurso e a prática.


Armando
2009-06-02 22:31:59

ÓTIMO

Estava isento de informações sobre este assunto...
Agora posso refletir sobre o tema e gerar pensamento crítico...
Ótimo artigo...



2009-05-30 06:09:17

Com Licença, sim?

Muito boa.
Agora quero trocar meu XP pirata por um Linux.


wladmir
2009-05-22 04:45:01

Com Licença, sim?

Sem dúvida, a utilização de softwares envolve, além de questões tecnológicas, questões sociais, políticas e econômicas.

Excelente matéria!


Leonardo Pastor
2009-05-20 18:37:49

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.