logo

abril 2007



AMÉRICA LATINA

Glossário mexicano

Nomes e siglas da esquerda institucional, dos movimentos rebeldes, dos observadores internacionais e dos partidos de direita


Jean-François Boyer

AMLO: Abreviatura de Andrés Manuel López Obrador, candidato à presidência nas eleições de 2006, derrotado em meio a denúncias de fraude. Não reconhece o resultado.

CND: Convenção Nacional Democrática; reúne espontaneamente simpatizantes de Andrés Manuel López Obrador contra a “fraude eleitoral”. Depois dois meses de luta, a CND reuniu 1.025.724 militantes em todo o país — algo inédito, na Cidade do México — em 16 de setembro de 2006. A convenção decidiu eleger um “governo legítimo” com “AMLO” como presidente.

Coalizão pelo Bem de Todos: aliança do PRD, do Partido do Trabalho e da Convergência Democrática que apóia López Obrador na eleição presidencial.

PRD: Partido da Revolução Democrática; partido de centro-esquerda fundado oficialmente em 26 de maio de 1989 a partir de uma ruptura com o PRI.

FAP: Frente Ampla Progressista; reúne os três partidos membros da coalizão eleitoral de López Obrador.

APPO: Assembléia Popular dos Povos de Oaxaca.

EZLN: Exército Zapatista de Liberação Nacional; Movimento armado indígena criado em 1º de janeiro de 1994, em Chiapas; tomou, logo em seguida, forma de uma rebeldia pacífica.

Outra Campanha: Lançada em 1º de janeiro de 2006 pelo Exército Zapatista de Liberação Nacional (EZLN) e o subcomandante Marcos. Esse ataca vigorosamente o PRI e o PAN, mas também não simpatiza com o PRD.

CCIODH: Comissão Civil Internacional pela Observação dos Direitos dos Homens, organização não-governamental européia ligada à esquerda, reconhecida pela ONU e pela União Européia.

PAN: Partido Ação Nacional; partido de direita no poder com Vicente Fox (2000-2006) e hoje com Felipe Calderón.

PRI: Partido Revolucionário Institucional; monopolizou o poder no México por 71 anos.

Nafta: North American Free Trade Agreement (Tratado de Livre Comércio Norte-Americano); de essência neoliberal, reúne Canadá, Estados Unidos e México na mais vasta zona de livre comércio do mundo.

Tradução: Silas Martí
silas.marti@revistaflan.com

Leia mais:

Nesta edição, sobre o mesmo tema:

Novo mosaico das resistências mexicanas Num país governado pela direita autoritária, multiplicam-se iniciativas de contra-poder, algumas com forte caráter inovador. Mas serão capazes de se entender e fazer de sua grande diversidade um trunfo?