logo

março 2002



EL SALVADOR

Dez anos de legalidade

Até o início da década de 80, existiam em El Salvador várias organizações guerrilheiras. A partir de 1981, unificaram-se na Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN), para saírem da clandestinidade em 1992


12 de novembro de 1989 – Começa a ofensiva da FMLN sobre San Salvador, capital do país. 16 de janeiro de 1992 – Assinatura dos acordos de paz, em Chapultepec (México), entre representantes do governo e da FMLN. 15 de março de 1993 – Relatório da Comissão da Verdade, das Nações Unidas. 20 de março de 1994 – Nas primeiras eleições legislativas realizadas após a guerra civil, a esquerda (da qual, a FMLN era um dos partidos, reunidos na coalizão Convergência Democrática) torna-se a segunda força política de El Salvador. 24 de abril de 1994 – Vitória de Calderón Sol (Arena) nas eleições presidenciais. 16 de março de 1997 – Nas eleições municipais e legislativas, a FMLN conquista 60 prefeituras, entre as quais a de San Salvador, e fica com praticamente o mesmo número de deputados na Assembléia (27) que a Arena (28). 7 de março de 1999 – Francisco Flores (Arena) é eleito presidente. 12 de março de 2000 – A FMLN torna-se a principal força política do país, por ocasião das eleições legislativas (31 cadeiras) e municipais. Hector Silva é reeleito prefeito de San Salvador. 1º de janeiro de 2001 – Dolarização da moeda (colón, que continua em circulação) salvadorenha. 1º de outubro de 2001 – Crise interna na Frente, provocada pela expulsão do partido de um dos principais assessores de Hector Silva, Facundo Guardado, acusado de ter “desgastado a imagem, a credibilidade e a identidade da FMLN”. (Trad.: Jô Amado)