logo

dezembro 2008



LITERATURA

Palavra 48

O passado dói
“O passado”, de Alan Pauls, é uma viagem, uma vertigem cortazariana ao fundo do coração de um homem dilacerado, feito em pedacinhos como os bilhetes e papelotes que consome sem nem mesmo saber ao certo por quê
Aqui

Impressionismo em tons de cinza
Assim como “Respiração artificial”, de Ricardo Piglia, “História do pranto” já pode ser considerada uma obra importante sobre o período de exceção latino-americano
Aqui

Copacabana classic
Poema
Aqui

Tabuleiro sem limites
A impressão que tenho ao ler e reler qualquer um dos textos de Fernando Sabino é a de que tudo nele era puramente literário
Aqui


Rodrigo Gurgel

O escritor argentino Alan Pauls é duplamente analisado nesta edição: Fábio Fernandes resenha O passado, uma história de amor – e, portanto, de perda, de insatisfação – na qual a impossibilidade de esquecer ocupa o papel de protagonista; enquanto Marco Polli tece seus comentários sobre História do pranto, narrativa em que a memória da infância surge maculada pela ditadura argentina.

Régis Bonvicino retorna ao Palavra, agora com seu poema “Copacabana classic”, desmistificação irônica da cultura bossa-novista e do carioquismo.

Em uma crônica destituída de pieguice, Renata Miloni relembra Fernando Sabino, cuja “literatura nunca foi feita por somente dois lados de uma moeda”.

Boa leitura – e até a próxima semana.

Rodrigo Gurgel, editor de Palavra.