logo

abril 2002



ILHAS COMORES

Uma viagem especial

Relatório do Observatório de Emigração Clandestina da Ilha de Anjouan, do dia 6 de agosto de 2001:


Christophe Wargny

“Acidente nº 11:

A lancha partiu de Domoni com 32 pessoas a bordo (sete homens, vinte mulheres e cinco crianças). Após cerca de 15 quilômetros, uma enorme onda inundou a embarcação. Os três pilotos e mais três homens conseguiram agarrar-se aos barris de combustível, nadando para se salvar. A lancha foi encontrada três dias mais tarde, sem qualquer passageiro. Foi trazida para terra por pescadores, que pediram ao proprietário 750 mil francos locais (cerca de 3.100 reais), que acabou negociando e recuperou seu kwassa kwassa por 250 mil (cerca de mil reais).

Acidente nº 12:

A lancha partiu de Domoni às 15 horas com 28 pessoas a bordo. Quando chegava próximo ao litoral de Mtsamboro, ambos os motores quebraram e a corrente marinha arrastou o kwassa kwassa. Após onze dias, a embarcação foi encontrada em Pemba, na Tanzânia. Duas meninas morreram, por exaustão, durante o período em que a lancha ficou à deriva. Os sobreviventes foram todos recolhidos a um hospital na Tanzânia. Interrogamos dois sobreviventes, que voltaram a Anjouan graças a uma ajuda financeira de suas famílias. Alguns ainda se encontram na Tanzânia por não disporem de meios financeiros para voltar ao país.” (Trad.: Jô Amado)