logo

outubro 2002



QUESTÃO CURDA

Oitenta anos depois…

10 de agosto de 1920: O tratado de Sèvres, assinado entre os Aliados da I Guerra Mundial e a Turquia, prevê a criação de um Curdistão autônomo no leste da Anatólia e na província de Mossoul. Este tratado nunca seria aplicado.

8 de julho de 1937: Pacto de Saadabad, entre a Turquia, o Iraque, o Irã e o Afeganistão. Prevê, entre outras cláusulas, uma coordenação da luta contra a “subversão” curda.

Setembro de 1961: Início de uma rebelião, no norte do Iraque, dirigida por Mustapha Al Barzani sob a palavra de ordem: “Autonomia para o Curdistão, democracia para o Iraque”.

1970: O Ba’ath, partido que chegou ao poder no Iraque em 1968, autoriza a criação de uma região curda autônoma e lhe concede alguns direitos: a língua curda torna-se a segunda língua do país.

6 de março de 1975: O acordo de Argel, entre Bagdá e Teerã, põe fim ao conflito de fronteiras entre os dois países e acarreta a suspensão de qualquer ajuda iraniana à rebelião curda, que é aniquilada.

1988: Repressão contra os curdos no fim da guerra Iraque-Irã. Em março, Bagdá utiliza gases químicos contra o vilarejo de Halabja. Cem mil curdos fogem para a Turquia.

5 de abril de 1991: A ONU aprova a Resolução 688 que exige o fim da repressão contra os curdos e solicita que Bagdá facilite o encaminhamento de ajuda humanitária.

19 de maio de 1992: Eleições livres no Curdistão iraquiano, mas nenhuma autoridade estável é empossada. O Partido Democrático do Curdistão (PDK) controla o Norte da região até a fronteira com a Turquia, e o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) controla o Sul até a fronteira com o Irã.

Setembro de 1998: Acordo de Washington, entre o PDK e o PKK, sobre a formação de um governo e de um Parlamento provisório no Curdistão iraquiano.

Outubro de 1998: O Irak Liberation Act norte-americano prevê aumentar o apoio à oposição iraquiana, que inclui os partidos curdos, com o objetivo de desestabilizar o presidente Saddam Hussein.

8 de setembro de 2002: Os dirigentes do PDK e do PKK assinam um acordo de paz, reativando o Parlamento unificado. Esta unificação intervém no momento em que Washington se prepara para atacar o Iraque a fim de derrubar seu governo. Cronologia completa em: http://www.monde-diplomatique.fr/ca...

(Trad.: Iraci D. Poleti)