Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


Rede Social


Edição francesa


» Le capitalisme à l'assaut du sommeil

» Feu le citoyen ?

» La guerre des chaînes d'information

» Deux nouveaux gendarmes : l'Iran et l'Afrique du Sud

» Le devoir de paresse

» Ainsi nos jours sont comptés

» Au Brésil, des collectionneurs d'art très courtisés

» Fantômes russes dans l'isoloir ukrainien

» Bernard Madoff, à la barbe des régulateurs de la finance

» Les famines coloniales, génocide oublié


Edição em inglês


» How green is burning trees?

» Rojava's suspended future

» Biden's Middle East challenges

» April: the longer view

» Africa's oil-rich national parks

» Montenegro's path to independence

» Japan's bureaucrats feel the pain

» Who's who in North Africa

» Being Kabyle in France

» Who wins in Chile's new constitution?


Edição portuguesa


» "Catarina e a beleza de matar fascistas": o teatro a pensar a política

» Edição de Abril de 2021

» A liberdade a sério está para lá do liberalismo

» Viva o «risco sistémico!»

» Pandemia, sociedade e SNS: superar o pesadelo, preparar o amanhecer

» A maior mentira do fim do século XX

» Como combater a promoção da irracionalidade?

» A Comuna de Paris nas paredes

» Como Donald Trump e os "media" arruinaram a vida pública

» Edição de Março de 2021


Marrocos

A força dos que vivem longe

Os dois milhões de marroquinos radicados na Europa remetem a seu país o equivalente a 60% do déficit comercial e movimentam rotas marítimas que fazem, só a partir da França, 200 mil viagens por ano

Pierre Daum
6 de setembro de 2007

A bordo do “Marrakesh Express”

Reportagem sobre um dos choque culturais emblemáticos de nosso tempo. Quarenta horas a bordo do navio que faz a travessia do Mediterrâneo abarrotado, levando ao Marrocos milhares de migrantes que foram tentar a sorte na Europa e regressam a seu país em viagem de férias

Pierre Daum
6 de setembro de 2007

Por um punhado de euros

As somas recebidas pelo Marrocos para bloquear uma das portas de entrada da Europa são irrisórias. Mas as remessas de dinheiro dos marroquinos que vivem no exterior a seu país equivalem a 10% do PIB

Sophie Boukhari
21 de junho de 2007

Viagem ao "muro" europeu

Reportagem no Marrocos: assim vivem (e morrem) milhares de migrantes que o mundo rico quer ver longe de suas fronteiras. E mais: como a União Européia transfere para alguns países africanos o trabalho sujo de reprimir quem busca uma vida melhor

Sophie Boukhari
21 de junho de 2007

Os movimentos das mulheres do Islã

Tanto no Irã, como no Marrocos as mulheres desempenharam um papel ativo. Se definem como militantes dos direitos femininos e, principalmente no Marrocos, rejeitam o termo "feminista", que julgam restrito, referindo-se a uma época e um espaço que não são delas

Wendy Kristianasen
1º de abril de 2004

O abismo entre a imagem e o real

Nas próximas eleições legislativas, o governo do rei Mohammed VI se verá questionado por uma juventude frustrada – promessas traídas, desesperança, desemprego, corrupção e abuso de poder – e por um islamismo forte, organizado e reprimido

John P. Entelis
1º de setembro de 2002

Como futuro, o exílio

Mais de 100 mil marroquinos tentam, todos os anos, atravessar clandestinamente o estreito de Gibraltar. Para milhares, o sonho termina de forma trágica

Pierre Vermeren
1º de junho de 2002

Dezenas de milhares

Nas águas perigosas que separam o Marrocos das Ilhas Canárias, os dramas são freqüentes

Pierre Vermeren
1º de junho de 2002

Palavras-chave no mesmo grupo
[países]

Outros grupos de palavras-chave

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel