Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Poderá Francisco salvar a Economia e o planeta?

» Auschwitz: os portões da memória ainda abertos

» As democracias engolidas e o erro de Piketty

» Eles lutam por todos nós

» Paulo Guedes, o bravateiro velhaco

» Mídia: a descarada sabotagem a Bernie Sanders

» Cronofagia: o roubo do tempo, sono e ideias

» Economia: o fantasma da crise externa

» Aos pobres, a xepa

» Por que o Brasil precisa de um Estado gastador

Rede Social


Edição francesa


» L'Afrique conteste en rap

» Les sondés ne veulent plus parler

» Apolitisme très politique des journaux municipaux

» La force molle de la social-démocratie

» L'enfance, une espèce en danger ?

» Progrès technologique et régression sociale

» La recolonisation du plus pauvre pays de l'hémisphère occidental

» Taïwan, ou l'indépendance dans le brouillard

» Sur les causes de la pauvreté des nations et des hommes dans le monde contemporain

» La criminalité en « col blanc », ou la continuation des affaires…


Edição em inglês


» US ideologues in the ascendant?

» US ideologues in the ascendant?

» Rojava, a fragmented territory

» Australia's angriest summer

» February: the longer view

» African national parks managed by African Parks

» Genetic medicine makes the world less fair

» From apartheid to philanthropy

» Who is the land for?

» Belarus, the industrious state


Edição portuguesa


» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…

» As marcas do frio

» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»


REPÚBLICA DO BURUNDI

Quarenta anos de conflitos

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

Uma cronologia dos enfrentamentos entre hutus e tutsis

Augusta Conchiglia - (12/06/2000)

01/07/1962 : Até então administrado pela Bélgica, o país obtém a independência. Até 1965 os sucessivos governos serão compostos por um número mais ou menos igual de tutsis e de hutus.

Janeiro de 1965 : Início dos enfrentamentos interétnicos entre tutsis e hutus.

1966 : O rei Ntare V é destituído e a República é proclamada. Os tutsis confirmam sua supremacia no poder.

Outubro de 1998 : Nomeação de um primeiro-ministro hutu (Adrien Sibomana) e de um governo multiétnico.

13/05/1992 : Nova Constituição autorizando o multipartidarismo.

01/06/1993 : Primeiras eleições presidenciais democráticas, vencidas por Melchior Ndadaye, de etnia hutu.

21/10/1993 : Golpe de Estado militar: o presidente Ndadaye é assassinado. O país afunda no caos e na guerra civil. O exército massacra os hutus.

Novembro de 1995 : O presidente tanzaniano Julius Nyerere é nomeado mediador pela Comunidade Econômica dos Países Africanos dos Grandes Lagos, com a aprovação das Nações Unidas e da Comunidade Européia.

25/07/1996 : Novo golpe de Estado, liderado pelo major Buyoya. Os países da região dos Grandes Lagos impõem um boicote contra o Burundi.

03/12/1999 : O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela é nomeado novo mediador para reiniciar as negociações de paz.

Traduzido por Angela Mendes de Almeida.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos