'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: Dos confins ao centro da galáxia
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Despotismo algorítmico, outra faceta da exploração

» Por que a pandemia afasta mulheres da ciência

» 31 de julho de 2020

» E se Brecht fosse Negro?

» Os conluios da Volks, do nazismo a Bolsonaro

» Literatura dos Arrabaldes: A poesia periférica na era Lula

» Tributar os super-ricos para reconstruir o país

» 30 de julho de 2020

» Não! A volta ao normal, não!

» As brumas do passado e o futuro da educação

Rede Social


Edição francesa


» « The Economist », le journal le plus influent du monde

» L'avènement du tourisme de masse... Près de chez soi

» Babel jeune et innocente

» Des usages de Bach

» Rendez-vous avec Frantz Fanon

» Dans la jungle de Bornéo, des visiteurs en quête d'authenticité

» « Il nous faut tenir et dominer Athènes »

» Égalité, identités et justice sociale

» D'autres pistes pour la santé publique

» En Chine, la vie selon Apple


Edição em inglês


» Hagia Sophia in Turkey's culture wars

» Pilgrimage routes

» Bolivia's shrinking glaciers

» It's the healthcare system, stupid

» The Twenty Years' war

» Government by the worst

» The eternal Johann Sebastian

» Wake up! I have things to say!

» Newspapers without borders

» Grounded by coronavirus


Edição portuguesa


» Offshores: paraíso para alguns, inferno para todos

» Edição de Julho de 2020

» Metáforas bélicas

» Alguém disse «sistémico»?

» Dois ou três lugares a preencher – a propósito de José Saramago

» A Jangada de Saramago

» Um homem chamado Saramago

» «O desastre actual é a total ausência de espírito crítico»

» Edição de Junho de 2020

» A fractura social


GLOBALIZAÇÃO

Dos confins ao centro da galáxia

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

O sistema de funcionamento linguístico galáctico não caiu do céu: é o resultado histórico do curso do poder, de guerras, invasões, migrações, colonizações

Bernard Cassen - (01/02/2005)

Estima-se que atualmente há cerca de 6 mil línguas; destas, 90% são faladas por menos de 5% da população mundial e são chamadas de “periféricas”

Os trabalhos do lingüístico holandês Abram de Swaan1, revisados e complementados pelos do francês Louis-Jean Calvet2, sugerem um modelo de funcionamento do sistema lingüístico mundial, denominado de “gravitacional” ou “galáctico”, no qual o centro é ocupado pelo inglês. Esse sistema não caiu do céu: é o resultado histórico do curso do poder, de guerras, invasões, migrações, colonizações etc. Nos últimos tempos, há também de se considerar as forças econômicas e, principalmente, as ideológicas: a conquista de idéias é muito mais importante que a dos territórios.

Estima-se que atualmente há cerca de 6 mil línguas; destas, 90% são faladas por menos de 5% da população mundial e são chamadas de “periféricas”. Calcula-se que 500 línguas são faladas por menos de cem pessoas. Em um mesmo país, pode-se às vezes encontrar centenas de línguas; o recorde é a Papua-Nova-Guiné (850 línguas), seguida pela Indonésia (670), Nigéria (410) e Índia (380). A fim de não se isolar completamente, uma comunidade lingüística pode estabelecer conexões horizontais com a comunidade vizinha, por meio de interlocutores bilingües. Este, porém, é um caso raro: geralmente, os membros desses grupos se comunicam através de uma língua em comum de nível imediatamente superior - como o quéchua na América do Sul, o wolof, o lingala e o bambara na África -, o que a caracterizará como língua central.

As línguas centrais, em torno das quais gravitam várias dezenas de línguas periféricas, contam aproximadamente cem. Esses idiomas são oficiais ou nacionais, aqueles da administração, do sistema legal, da escrita geral e também da comunicação eletrônica. Todas as línguas européias são centrais quando consideramos as línguas regionais ou ‘minoritárias’ de um território nacional: o holandês em relação ao frison; o finlandês ao saami; o dinamarquês ao feroiano; o inglês ao cornualho, ao escocês, ao gaulês e ao irlandês; o francês ao alsaciano, ao basco, ao bretão, ao corsa e ao ocitane.

Locutores bilíngües

As línguas supercentrais são aquelas da comunicação em um espaço regional ou internacional, mesmo que às vezes sejam herança da colonização

Algumas destas línguas, mesmo sendo todas elas centrais dentro de um mesmo país, são mais centrais que outras porque estão também situadas no ‘coração de constelações’, agrupando outras línguas centrais estrangeiras, e assim são denominadas de supercentrais. Abram de Swaan identificou doze línguas supercentrais: o alemão, o árabe, o chinês, o inglês, o espanhol, o francês, o hindu, o japonês, o malaio, o português, o russo e o swahili. Por outro lado, Louis-Jean Calvet considera que o alemão e o japonês, apesar de manter um grande número de outras línguas orbitando ao seu redor e mais de 100 milhões de locutores, não desempenham um papel supercentral. As línguas supercentrais são aquelas da comunicação em um espaço regional ou internacional, mesmo que às vezes sejam herança da colonização (por exemplo inglês, espanhol, francês, português).

Porém, quando um chinês e um russo se encontram - a menos que os dois tenham vivido em Cuba, o que lhes permitirá de se comunicarem em espanhol –, há poucas chances de um deles falar ou compreender a língua do outro. Eles provavelmente utilizarão, se puderem, a língua de conexão das línguas supercentrais: o inglês, a língua hipercentral. Observa-se pois que, da menor língua amerindiana ou africana ao inglês, existem várias cadeias de locutores bilíngües ou multilíngues que, trazidos para línguas superiores por escalas sucessivas, asseguram a comunicação entre as línguas periféricas e centrais.

(Trad.: Andréa Curiacos Bertolini)

1 - Abram de Swaan, Words of the World, Polity Press, Cambrige, 2001. A obra inclui uma extensa bibliografia na qual são citados trabalhos anteriores do autor.
2 - Louis-Jean Calvet, Pour une écologie des langues du monde, Plon, Paris, 1999. Esse livro também apresenta uma completa bibliografia.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Direito à Diversidade Cultural e à Transculturalidade
» Direitos Humanos
» Poder Imperial dos EUA

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos