Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Poderá Francisco salvar a Economia e o planeta?

» Auschwitz: os portões da memória ainda abertos

» As democracias engolidas e o erro de Piketty

» Eles lutam por todos nós

» Paulo Guedes, o bravateiro velhaco

» Mídia: a descarada sabotagem a Bernie Sanders

» Cronofagia: o roubo do tempo, sono e ideias

» Economia: o fantasma da crise externa

» Aos pobres, a xepa

» Por que o Brasil precisa de um Estado gastador

Rede Social


Edição francesa


» L'Afrique conteste en rap

» Les sondés ne veulent plus parler

» Apolitisme très politique des journaux municipaux

» La force molle de la social-démocratie

» L'enfance, une espèce en danger ?

» Progrès technologique et régression sociale

» La recolonisation du plus pauvre pays de l'hémisphère occidental

» Taïwan, ou l'indépendance dans le brouillard

» Sur les causes de la pauvreté des nations et des hommes dans le monde contemporain

» La criminalité en « col blanc », ou la continuation des affaires…


Edição em inglês


» US ideologues in the ascendant?

» US ideologues in the ascendant?

» Rojava, a fragmented territory

» Australia's angriest summer

» February: the longer view

» African national parks managed by African Parks

» Genetic medicine makes the world less fair

» From apartheid to philanthropy

» Who is the land for?

» Belarus, the industrious state


Edição portuguesa


» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…

» As marcas do frio

» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»


ANGOLA

O alto preço da paz

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

Augusta Conchiglia - (28/05/2008)

1884-1885. Graças ao apoio britânico, Portugal obtém a confirmação, na Conferência de Berlim, de seu controle sobre diversos territórios africanos, inclusive Angola

1956. Fundação do Movimento Popular pela Libertação de Angola (MPLA)

1957. Holden Roberto cria a União das populações do norte de Angola, que dará origem a Frente de Libertação Nacional de Angola (FLNA)

4 de fevereiro de 1961. O MPLA desencadeia a luta de libertação nacional

1964. Jonas Savimbi deixa o FLNA e cria a União Nacional pela Independência Total de Angola (Unita)

25 de abril de 1974. Revolução dos Cravos em Portugal e queda da ditadura Salazar. Fim do império colonial português

1975. Acordo ineficaz assinado entre os três movimentos de libertação. FNLA e Unita são sustentados pela África do Sul e os Estados Unidos e o MPLA, pela União Soviética. Início da guerra civil

Primavera de 1975. A África do Sul invade o sul de Angola para apoiar uma ofensiva da Unita contra o MPLA e é derrotada por expedicionários cubanos. Em 11 de novembro, o MPLA proclama a independência de Angola

10 de setembro de 1979. Morte de Agostinho Neto, líder MPLA. José Eduardo dos Santos assume o partido e o governo

22 de dezembro de 1988. Em Nova Iorque, acordo entre Angola, Cuba e África do Sul estabelece a retirada das tropas cubanas do país e a independência da Namíbia

29-30 de setembro de 1992. Eleições legislativas e presidenciais. Vitória do MPLA. Savimbi relança a guerra civil

20 de novembro de 1994. Em Lusaka é assinado um acordo de paz entre o governo angolano e a Unita, prevendo a formação de um Governo de Unidade e Reconciliação Nacional (GURN)

Dezembro de 1998. A Unita reinicia a guerra civil. O pano de fundo é a crise na República Democrática do Congo. O governo de Angola havia enviado tropas para colaborar com a manutenção do presidente congolês Laurent-Désiré Kabila.

2002. Assassinato de Jonas Savimbi. Acordo de cessar-fogo assinado em Luanda.

Dezembro de 2003. O V Congresso do MPLA reelege seu presidente, José Eduardo dos Santos, por mais cinco anos.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Angola
» Desigualdades Internacionais
» Petróleo
» África

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos