Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Argentina e Chile: por que a esquerda está em apuros

» 4 de julho de 2022

» Como a esquerda quer governar a Colômbia

» Direito ao aborto: “A mulher não é um hospedeiro”

» Golpes no Brasil (II): As três viradas entre 1930-45

» Pochmann: Os bárbaros antidesenvolvimentistas

» 1º de julho de 2022

» 30 de junho de 2022

» Bifo: O mundo em guerra civil psicótica

» Meditação sobre os que partem e os que ficam

Rede Social


Edição francesa


» Le poids des pamphlets, le choc des classes

» En Russie, réprimer plus et enfermer moins

» Apprendre à nager n'est plus donné à tout le monde

» Bouillonnement de l'art contemporain africain

» Les Sri-Lankais défient le pouvoir

» Clarice Lispector, l'étoile de Rio

» Séparatismes ukrainiens

» Les mineurs, la mer et autres histoires

» Le droit à l'avortement menacé

» Occident contre Occident


Edição em inglês


» Fragmented Yemen

» Ukraine's logistical crisis

» Tensions and blackmail over Western Sahara

» Migrants still risk their lives to reach England

» Africa: agribusiness or diversity?

» Poisoning our oceans

» UN Earth Summits: how the rot set in

» In Mexico, will slow and steady win the day?

» Sri Lanka plunges into crisis

» Uncertain loyalties and competing narratives


Edição portuguesa


» Campanha de Verão

» Lançamento: Atlas das Utopias Reais: Criatividade, Cultura e Artes

» Livro: Atlas das Utopias Reais: Criatividade, Cultura e Artes

» Leitura furiosa

» Lisboa e a Memória do Império. Património, Museus e Espaço Público

» Outros Tons de Azul

» Que pode o teatro face ao crescimento das extremas-direitas?

» Mapeamento de uma arte político-social: "Untitled", de Paula Rego

» Assembleia-Geral da Outro Modo

» O problema da riqueza


Manoel Neto

Manoel Galdino Pereira Neto é economista, mestre e doutorando em Ciência Política (USP). Membro do coletivo Ecologia Urbana e pesquisador do CAENI-USP.


Seus artigos nesse site:

A mudança indispensável

Apresentamos quatro propostas muito concretas contra a devastação do planeta. Por trás delas, uma reflexão: a defesa do ambiente exige mudanças individuais de atitude — mas elas só produzem efeitos reais quando também resultam em políticas que alteram hábitos coletivos de consumo

10 de março de 2008

Ilusões do ambientalismo de mercado

Uma das bases em que se apóia o Protocolo de Kyoto é tentar reduzir as emissões de CO2 impondo penalidades monetárias aos países e agentes poluidores. Mas bastam alguns cálculos simples para revelar a ilusão de tal fórmula

11 de janeiro de 2008

Tupi or not Tupi?

A descoberta, pela Petrobrás, da mega-reserva brasileira pode ser encarada de duas formas: ou fonte para um “crescimento” econômico imediatista, que contribui para o aquecimento global; ou ponto de partida para um uso mais adequdo e sustentável do petróleo

20 de dezembro de 2007

Apocalipse (Consumista) Now

Só no ano de 2007, a população mundial aumentará em 66 milhões de pessoas; 23.282 espécies serão extintas; 11 milhões de hectares, desmatados; 31 milhões de carros e 72 milhões de computadores produzidos e 26 trilhões de barris de petróleo extraídos

16 de novembro de 2007

Para que as cidades ressuscitem

Proposta: lançar, na cidade mais individualista e caótica do país, um movimento de ecologia urbana, capaz de questionar a civilização do automóvel e abrir debate sobre políticas que permitam uma existência digna

31 de outubro de 2007

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» A “América profunda” está de volta
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Finanças: sem luz no fim do túnel
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» O planeta reage aos desertos verdes
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos