Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» Démographie et richesse en Russie, les grands déséquilibres

» J'ai assisté à la montée du nazisme

» L'Afghanistan ne croit pas à la paix

» La jeunesse burkinabé bouscule la « Françafrique »

» Quand Hollywood cultivait sa fibre sociale

» Comment devient-on fasciste ?

» Al-Jazira, scène politique de substitution

» Combien de pages valez-vous ?

» Ni assurance ni charité, la solidarité

» Prison hors les murs, la réponse oubliée


Edição em inglês


» January: the longer view

» Mutual suspicion in Greece's borderlands

» Border tensions

» Disunited States of America

» The British monarchy's smoke and mirrors

» UK Brexiteers' libertarian goal

» Time to reform the Peruvian system

» Russia's attempted return to Africa

» ASEAN's diplomatic triumph

» When Algerians took to the streets


Edição portuguesa


» Edição de Janeiro de 2021

» O presidente, a saúde e o emprego

» Quem será o próximo inimigo?

» Edição de Dezembro de 2020

» A democracia desigual e os neoliberais autoritários

» A amarga vitória democrata

» A segunda morte da Europa

» Ofereça uma assinatura de 6 meses, apenas €18

» Edição de Novembro de 2020

» A máquina infernal


Michel Pinçon

Sociólogo, diretor de pesquisa no Centro Nacional de Pesquisas Sociais (CNRS). Autor de vários livros sobre a burguesia, entre os quais Sociologie de la burgeoisie, ed. La Découverte/Repères, Paris, 2000.


Seus artigos nesse site:

Quem são eles?

A riqueza econômica é profissional e patrimonial, em proporções variáveis. Ela é composta pelos bens que representam o capital empresarial (imóveis, ações) e pelos bens familiares (propriedades, obras de arte, veleiros...)

1º de setembro de 2001

A família Seillière

A amizade prolonga-se por alianças matrimoniais. Irmãs Demachy casaram-se com irmãos Seillière. De um dos casamentos, nasceu Jean Seillière, que se casou com Renée de Wendel. As grandes famílias são um pequeno mundo onde a teia de alianças é rigorosa

1º de setembro de 2001

As jornadas de iniciação

As crianças aprendem que a cultura é um elemento inseparável de suas vidas, que perpassa as relações de amizade, que suas famílias são sempre acolhidas com a maior deferência, que existe uma afinidade profunda entre o seu dia-a-dia e o da cultura

1º de setembro de 2001

Na pista dos bem-nascidos

Malditas as tradições sindicais e a memória coletiva! Criticando a nostalgia do passado de seus empregados, que colocava em risco a empresa, o duque de Brissac escreveu: “Eles são sedentários e ficam grudados no lugar, como o marisco na pedra...”

1º de setembro de 2001

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» A “América profunda” está de volta
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Finanças: sem luz no fim do túnel
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» O planeta reage aos desertos verdes
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos