Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


Rede Social


Edição francesa


» Le devoir de paresse

» Ainsi nos jours sont comptés

» Au Brésil, des collectionneurs d'art très courtisés

» Fantômes russes dans l'isoloir ukrainien

» Bernard Madoff, à la barbe des régulateurs de la finance

» Les famines coloniales, génocide oublié

» LTCM, un fonds au-dessus de tout soupçon

» Récalcitrante Ukraine

» Europe de l'Est : un bilan positif sur le plan social mais négatif dans le domaine des droits politiques

» La crise russo-ukrainienne accouchera-t-elle d'un nouvel ordre européen ?


Edição em inglês


» Rojava's suspended future

» Biden's Middle East challenges

» April: the longer view

» Africa's oil-rich national parks

» Montenegro's path to independence

» Japan's bureaucrats feel the pain

» Who's who in North Africa

» Being Kabyle in France

» Who wins in Chile's new constitution?

» Senegal's five days of anger


Edição portuguesa


» "Catarina e a beleza de matar fascistas": o teatro a pensar a política

» Edição de Abril de 2021

» A liberdade a sério está para lá do liberalismo

» Viva o «risco sistémico!»

» Pandemia, sociedade e SNS: superar o pesadelo, preparar o amanhecer

» A maior mentira do fim do século XX

» Como combater a promoção da irracionalidade?

» A Comuna de Paris nas paredes

» Como Donald Trump e os "media" arruinaram a vida pública

» Edição de Março de 2021


Comentários sobre esse texto:

Os sábios, o público e os discos voadores

Se analisarmos o fato que o planeta mais próximo da terra, que poderia favorecer vida como conhecemos, está a 26 anos luz de distância (9,5 trilhões de quilômetros) e a probabilidade ínfima de vida inteligente faz-nos pensar o que seriam estes ÓVNIS ou discos voadores que sempre são relatados.

Ainda sim, se fizemos uma projeção das realizações da nossa civilização, que até o século 19, nossa velocidade máxima seria de pouco mais de 20 Km/h em lombo de cavalos e após pouco mais de um século conseguimos viajar a 50 mil km/h. Imagino que daqui a menos de 1 século poderemos quebrar a velocidade da luz. Desta forma, seguindo os pressupostos das teorias como a de Einstein ou mesmo princípios da teoria Fractal poderíamos viajar no tempo e espaço.

Qual seriam as nossas necessidades neste futuro? Verificar fatos da nossa história? Conhecer Jesus Cristo? Ou buscar DNAs que poderiam resolver doenças do futuro? E com isso abduzirmos alguns indivíduos.

De outra forma algumas limitações poderiam ser inevitáveis como alterar o passado. Talvez um simples suspiro de alguém do futuro no nosso tempo poderia ter implicações catastróficas se não muito bem preparadas e calculadas.

Nada, a não ser o simples fato da alteração do passado justificaria a falta de contato desses “alienígenas” com a nossa civilização. Para quem é fam de ficção científica poderia falar: “Tem a primeira diretriz da Frota Estelar de Star Trek”. Que Bobagem seria esta tal de não interferência...

Marcelo Lucas mlucas@oi.com.br


R19480
2006-12-28 02:11:56

Os sábios, o público e os discos voadores

Não sei porque cargas comecei a receber fotos riquíssimas em detalhes de marte,já ouviu falar em thitonia? as construções que lá existem são obras dos melhores arquitétos... ou a erosão fez faculdade de engenharia civil? os "transparentíssimos" cientistas da jpl menosprezam a capacidade de operadores de photoshop, é evidente os tampering nas imagens e se trabalhados emcontraste e definições de espéctro fractais, cores modificadas, e as imagens que possuo identifico sim que houve vida inteligente lá desconfio que talvez haja vida inteligente no planeta terra, mas não tenho muita certeza.

sei que dizem os cientistas que se olhár-mos para um lado no espaço veremos o passado, pois a luz de uma estrela mesmo depois de morta permanece viajando pelo espaço.

Isso me leva a crer que poderia marte ser o futuro de nosso planeta? árido sem oxigênio, "sem Indício de Vida?

Há cranios humanóides pelo chão marciano eu tenho as fotos mas fico feliz com os céticos que pensam que são arrimos do universo e que DEUS terá feito um universo infinito só para por vida inteligente na terra, que nossa existência inteligente é um méro acaso, uma fusão de aminoácidos e pó das estrelas.
Não não existe vida inteligente em marte,des de que os mahabáratas os incas os maias e os astécas no mesmo ano viram uma luz intensa na estrela que denominamos marte isso a mais ou menos sete mil anos atraz,e logo após afirmaram que os deuses vieram lhes visitar em carruagens de fogo, isso é só um conto ou quem nasceu antes com maior tecnologia se destruiu em uma ecatombe bélica delineando os passos que estamos seguindo, é só apertar um botão e a terra vira marte. eu só sei de uma coisa tenho provas "EXISTIU".


Claujacar
2006-11-22 06:38:41

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.