Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Vulnerabilidade, essência da Educação pós-capitalista

» O vírus transparente e os unicórnios invisíveis

» Artimanhas do mercado para socializar prejuízos

» CARF: um tribunal paralelo a serviço dos sonegadores

» Bolsonarismo, manipulação e perversidade

» Pandemia expõe a Era dos Empregos de Merda

» Governo estrangula (ainda mais) Ciência brasileira

» Coronavírus e os limites morais do capitalismo

» Capital, pandemia e os papéis do feminismo

» Na pandemia, fermenta o Comum

Rede Social


Edição francesa


» Qui veut en finir avec le modèle de la BBC ?

» Médicaments du Nord testés sur les pauvres du Sud

» L'Afrique tente de retenir ses médecins

» Du Monténégro au Kosovo, la Serbie défiée

» De l'utopie scientifique au péril sanitaire

» Controverses en Inde autour de l'histoire coloniale

» Le culte d'Internet

» Hobsbawm (1917-2012), un itinéraire dans le siècle

» L'Afrique, cobaye de Big Pharma

» Dépeçage des libertés publiques


Edição em inglês


» What does Covid-19 mean for people displaced by climate change?

» April: the longer view

» To our readers

» Bangsamoro: Philippines' new Muslim-majority region

» Artist and filmmaker

» Looking without blinking

» Politics of city diplomacy

» Politics of city diplomacy

» The return of the city-state

» Philippines revives self-rule for Bangsamoro


Edição portuguesa


» Edição de Abril de 2020

» O tempo é agora

» Achatar as desigualdades

» O olhar dos artistas

» Assine por 3 meses (€10) ou 6 meses (€18)

» Edição de Março de 2020

» Um Brexit para nada?

» A precariedade não é só dos precários

» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…


Comentários sobre esse texto:

Washington à beira de um desastre estratégico

Há um erro na estratégia dos EUA para com os paises mulçumanos, o pouco caso que foi dado a esses países historicamente, o não cumprimento das promessas depois que este cumpriam o seu papel, e o apoio incondicional a Israel, tudo isso levou a que os países mulçumanos não cofiassem mais nos EUA e chegou até a espalhar o ódio aos EUA nesta região.
Quanto a questão de Israel os EUA deveriam através de acordo ceder territórios ocupados por Israel, para a própria segurança Israel deveria começar uma conversação de paz com os países árabes, historicamente Israel tem sim direito a esse território, porem com a queda de Jerusalém pelo império romano estes mesmos fugiram, e quem teve que livrar o território da ocupação romana foram os árabes que viveram nela por muitos séculos depois disso, e ao final da segunda guerra mundial, os EUA simplesmente cria no território árabe o Estado de Israel, e este não contem ainda faz incursões para ampliar seu território.
O ódio causado por estes atos são justificáveis.


Thiago
2007-04-17 22:54:53

Washington à beira de um desastre estratégico

Sim, o governo Bush não foi capaz de entender o mundo arabe, por conseguinte adotou politicas equivocadas. Obvio tambem é, que a politica americana é demasiadamente influenciada pelos interesses israelenses.

Por outro lado, deve se reconhecer que, praticamente, é impossivel desenvolver uma politica logica e ampla para uma região controversa como o oriente medio.Apesar dos povos que confessam basicamente a mesma religião não se entendem entre si e são paises estremamente atrasados em relação ao mundo.

Chega ao ridiculo um lider islamico negar a existencia de Israel, quando historicamente se sabe que Israel ja existia quando os tribos arabes eram ainda errantes no deserto.

A conclusão é simples:
Um erro leva a outro
Todos tem razão
Todos estão errados.


Peter Karady
2007-04-03 04:35:22

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.