Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Vulnerabilidade, essência da Educação pós-capitalista

» O vírus transparente e os unicórnios invisíveis

» Artimanhas do mercado para socializar prejuízos

» CARF: um tribunal paralelo a serviço dos sonegadores

» Bolsonarismo, manipulação e perversidade

» Pandemia expõe a Era dos Empregos de Merda

» Governo estrangula (ainda mais) Ciência brasileira

» Coronavírus e os limites morais do capitalismo

» Capital, pandemia e os papéis do feminismo

» Na pandemia, fermenta o Comum

Rede Social


Edição francesa


» Qui veut en finir avec le modèle de la BBC ?

» Médicaments du Nord testés sur les pauvres du Sud

» L'Afrique tente de retenir ses médecins

» Du Monténégro au Kosovo, la Serbie défiée

» De l'utopie scientifique au péril sanitaire

» Controverses en Inde autour de l'histoire coloniale

» Le culte d'Internet

» Hobsbawm (1917-2012), un itinéraire dans le siècle

» L'Afrique, cobaye de Big Pharma

» Dépeçage des libertés publiques


Edição em inglês


» What does Covid-19 mean for people displaced by climate change?

» April: the longer view

» To our readers

» Bangsamoro: Philippines' new Muslim-majority region

» Artist and filmmaker

» Looking without blinking

» Politics of city diplomacy

» Politics of city diplomacy

» The return of the city-state

» Philippines revives self-rule for Bangsamoro


Edição portuguesa


» Edição de Abril de 2020

» O tempo é agora

» Achatar as desigualdades

» O olhar dos artistas

» Assine por 3 meses (€10) ou 6 meses (€18)

» Edição de Março de 2020

» Um Brexit para nada?

» A precariedade não é só dos precários

» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…


Comentários sobre esse texto:

Sob o signo da intolerância

Gostaria que o Le monde voltasse a publicar sobre Cesare Battist alguma noticia,pois desde este texto,mais nada ser falou,e a esquerda espera por um desfecho humano para o caso de Cesare.



2008-04-10 22:15:59

Sob o signo da intolerância

Admiro o Le Monde diplomatique e mais os seus artigos como este de Sophie Wahnich sobre intolerância. Do século XX ao XXI vive-se no mundo inteiro após o 11 de setembro, clima politico e social de tremenda sufocação à aplicação do que chamaria Justiça.Perplexidade.O mundo está conturbado e a humanidade em permanente insegurança...Veja a base de Guantánamo (quem está lá?)- não sabemos... o que se faz com os detidos? Tem os reclusos alguma denuncia ou culpa formal? Há advogados ou pessoas dos chamados direitos humanos? E também as vitimas e suas familias de todo mundo e espécie estão merecendo a assistência devida pelo Estado ou da sociedade? A invasão do Iraque se justifica? Cito duas personalidades para reflexão PIETRO VERRI,(teria sido meu ancestral?), quando falou das "torturas" e só publicou obra após a morte de seu pai,pois este era da Inquisição Italiana e outro autor contemporâneo ALBERT JACQUARD in "A herança da Liberdade", Ed.Martins Fontes,1989.(Institut National d’Etudes Demographiques-França).Parabens Sophie,pois crime comum é diferente do delito político. Em muitos casos o perdão ou a chamada anistia voltaram -ambos-à escuridão das cavernas de onde os homens habitavam... quem vai iluminar isso?


helion verri
2007-05-23 00:12:47

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.