Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Capital, pandemia e os papéis do feminismo

» Na pandemia, fermenta o Comum

» Literatura periférica, borbulhante e singular

» Epidemias e a queda do céu

» A Quarentena, o desencanto e os homens de gravata

» Contra o cinismo de 1%, a Reforma Tributária

» O fantasma de 1929 está vivo

» Contra a pandemia, a opção solidária

» Pandemia implodirá a Segurança Pública?

» Filmes para desembrutecer o coração

Rede Social


Edição francesa


» Hobsbawm (1917-2012), un itinéraire dans le siècle

» L'Afrique, cobaye de Big Pharma

» Dépeçage des libertés publiques

» Punir le viol

» Stefan Zweig ou l'horreur de la politique

» Le refus de Sartre

» Une guerre tous azimuts

» Parrain privé, chaîne publique

» « Big Pharma », ou la corruption ordinaire

» Ravages cachés du sous-emploi


Edição em inglês


» To our readers

» Bangsamoro: Philippines' new Muslim-majority region

» Artist and filmmaker

» Looking without blinking

» Politics of city diplomacy

» Politics of city diplomacy

» The return of the city-state

» Philippines revives self-rule for Bangsamoro

» Marawi, the Philippines' ruined city

» Impasse in Morocco


Edição portuguesa


» Edição de Março de 2020

» Um Brexit para nada?

» A precariedade não é só dos precários

» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…

» As marcas do frio

» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?


Comentários sobre esse texto:

Ocupar a Universidade

1 - ocupação de vagas ociosas, principalmente as optativas ou com pré-requisitos parece ser o foco da meta dos 90%, conforme aparece nas diretrizes gerais do reuni e publicadas no sitio da SESu.

2 - salas de aula com 8,9 alunos(num país como o brasil?) e apenas manha/tarde parece ser o foco do 18 alunos por professorer.
Coisa de elite essas aulinhas.......

3 - Aliás, professor que só dá uma ou duas aulas e recebe como se trabalhasse 40 horas em regime DE não falta nas IFES.

4 - Estudantes apoiam greves de professores que, assim que recebem um aumento $$, esquecem as bandeiras estudantis como mais contratação de profs., melhorias nas bibliotecas e na assistencia estudantil.

Massa de manobra de professor? Tô fora!


marcio
2008-01-15 18:20:42

Ocupar a Universidade

Concordo parcialmente. Não se pode fechar os olhos para as condições estruturais das UNI’s. Por outro lado, há pouco tempo, falou-se nas PPPs (parcerias público-privadas). Isso eu não concordo. De maneira nenhuma. Só favorece ao neoliberalismo. Por que a coisa não funciona quando é público, mas funciona quando privado? Por quê os legisladores são os empresários que ocupam os espaços públicos, seja no judiciário, legislativo ou executivo! Simples assim. São como advogados que legislam em causa própria! Por isso dificultam reformas, fazem negociatas obscuras. E qual é a proposta do neoliberalismo? Ahhhh, ausência de Estado! E isso resulta? Na responsabilidade da iniciativa privada em prover as demandas sociais. E como eles farão isso? Fomentando mais e mais faculdades privadas, empregando os graduados e pagando-lhes míseros salários, para poderem lucrar mais, manter seus filhotinhos nas UNI’s e depois mandá-los ao exterior. Para, quando regressarem, se o fizer, estarem aptos a abrir suas micro ou macro empresas, consultórios, empreiteiras e, consequentemente, perpertuar o status quo! E, assim, a gente vai levando...


Francolino (bolsista do PROUNI, não fosse Lula, ainda estaria na fila)
2007-11-27 04:11:09

Pelo impedimento do REUNI

É impressionante as tortuosidades da lógica utilizadas por aqueles que desejam defender o REUNI. Qualquer professor sabe que um número de 18 alunos por professor é insano. Além disso, como garantir os 90% de aprovação? A expansão da universidade não se dá apenas com o aumento no número de ingressantes, mas também com um aumento qualitativo. Não é elitista querer garantir um ensino de qualidade em contraponto ao ensino de escolão técnico implícito no REUNI. É uma vergonha a UNE compactuar com esses planos, é uma mancha na história dessa organização tão importante para a história do país!


Amon
2007-11-27 02:13:30

Ocupar a Universidade

Concordo com cada palavra do artigo. O Reuni já começou errado, a reforma universitária brasileira está acontecendo em forma de decreto! É inevitávela a perda de qualidade do ensino superior com a aprovação do Reuni na forma como está prevista. Não se trata de um dualismo estudante x professores, como equivocadamente o colega Alexandre tentou apresentar o assunto. O decreto Reuni trará profundas mudanças ao ensino superior brasileiro, e não tenho dúvidas de que são mudanças que inpactarão negativamente na qualidade do ensino. Não se trata de ser contra a expansão de vagas como tantam afirmar cegamente os adptos do projeto, o contrário disso, os milhares de estudantes que ocuparam mais de 15 reitorias de universidades em todas as regiões do país sonham com a universalização do ensino superior. Acontece que qualquer expensão deve levar em consideração pressupostos sem os quais a universidade torna-se-á um verdadeiro escolão superior, um mero emissor de diplomas. Devem ser levados em consideração a extensão, a assistência estudantil, a contratação de professores efetivos e não de professores-equivalentes (que somente dão aulas, não realizando pesquisa, extensão ou orientação de mnografias). Estou falando aqui de responsabilidade com a instituição que mais produz nada menos que 80% da produção científica e tecnológica no Brasil, que são as universidades públicas. Nos tempos de FHC os petistas (que controlam boa parte ddos sindicatos de professores universitários) fariam oposição contra um projeto como esse. Mas os tempos são outros..

Eu também ocupei a reitoria da minha universidade em defesa do ensino público de qualidade.

Acesse:
www.ocupacaodaufc.blogspot.com


André Lima
2007-11-24 21:01:46

Ocupar a Universidade

Além de fraco na redação e em conteúdo, o texto deploravelmente prioriza o aumento de professores em detrimento ao aumento de alunos! Isso é lamentável, mas esclare o motivo do apoio ($$$) tão substancial do sindicato dos professores aos militantes de carreira..
Quem perde são os 98% dos jovens que estão fora da universidade!

Alexandre



2007-11-24 07:20:32

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.