Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


Rede Social


Edição francesa


» Vieille régulation sociale et nouveau discours alarmiste

» Paix organisée dans les « kampungs »

» La foire aux libertés

» L'Italie, démocratie « de type spécial »

» La trajectoire originale du parti socialiste français

» Les médias et le changement

» Habits neufs et fausses pudeurs de l'extrême droite

» En Italie, le défi de la « question méridionale »

» Changements d'échelle, tranquillité perdue

» Les scientifiques, responsables et inquiets


Edição em inglês


» May: the longer view

» Saudi Arabia's diplomatic volte-face

» Global trade in plastic waste

» Gas pipelines and LNG carriers

» Rise and rise of the Israeli right

» Decline of Israel's Zionist left

» Knight who shed his shining armour

» How to sabotage a pipeline

» No more plastics in Southeast Asia paradise

» Whiteout for the skiing industry?


Edição portuguesa


» Edição de Maio de 2021

» O Estado, o temporário e o permanente

» Disse mesmo unidade?

» "Catarina e a beleza de matar fascistas": o teatro a pensar a política

» Edição de Abril de 2021

» A liberdade a sério está para lá do liberalismo

» Viva o «risco sistémico!»

» Pandemia, sociedade e SNS: superar o pesadelo, preparar o amanhecer

» A maior mentira do fim do século XX

» Como combater a promoção da irracionalidade?


Comentários sobre esse texto:

O desafio do pós-desenvolvimentismo

Se encontrasse esse tipo de artigo na Carta Maior, eu não me espantaria... Mas no Le Monde!!!... Endossar essas teses governistas de crescimento econômico com diminuição da desigualdade é criminoso! Em outros tempos o PT era desenvolvimentista... Mas depois que virou Governo, está longe disso. É tão neoliberal quanto FHC. E para os banqueiros, tanto um quanto outro são o que há de melhor em políticas econômicas.


Adalmir
2008-04-30 18:18:31

O desafio do pós-desenvolvimentismo

Há no texto do Hamilton um certo exagero ou uma consideração panglosiana do que ele chama de redistribuição da renda e, mesmo, quanto ao pretenso processo de desenvolvimento, no governo Lula.

Muito longe está, o que o governo Lula faz, da idéia de distribuição presente nas idéias desenvolvimentistas que trazemos, desde os grande debates políticos, notadamente, que encontramos nas obras de grandes pensadores breasileiros, tais como Rangel, Furtado, Caio Prado, Conceição Tavares, etc. Ali, se discutia a idéia de distribuição a partir de uma perspectiva estrutural. Em nada parece com isto uma distribuição de dinheiro, via políticas sociais ad hoc.

Toda a estrutura do desenvolvimento em andamento, estimulado pelo governo Lula, contribui ao contrário da busca da distribuição da renda. Em tempo algum da história, assistimos um processo de transferência de renda para grupo tão reduzido como o que se processa, agora, via política monetária. Sem maiores preocupações com pormenores, veja-se os seguido recordes de lucratividade dos bancos.

Quanto ao meio ambiente, o governo Lula procede de forma criminosa quando sustenta as posições de seus novos aliados (neolulistas) responsáveis por ações que avançam, exatamente, contra a distribuição e a proteção ambiental: o agribusiness. Este realiza uma das mais perversas "guerra" contra a produção familiar, contra a pequena produção, ou seja, contribuindo para um processo intenso de acumulação pela espoliação e pela destruição ds condições reprodutivas do meio ambiente.


Mário José de Lima
2008-04-27 17:09:11

O desafio do pós-desenvolvimentismo

Realmente muito animador saber que cresce essa preocupação em relação ao meio ambiente. Porém, acredito que devemos assumir como um desafio diário, a necessidade urgente e o cuidado em aplicar, em todas nossas atividades e independente da área de atuação de cada indivíduo, a questão da sustentabilidade e a gestão ambiental. Os centros de educação (escolas, universidade, etc...) deveriam realizar ou multiplicar as atividades de integração em datas comemorativas e estratégicas, como por exemplo, o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de Junho). Além disso, devemos ficar alertas em relação ao tipo de governaça/liderança por trás dessa causa ambiental. Recentemente, entre alguns componentes da Frente Parlamentar Ambientalista, estam parlamentares como Paulo Maluf e Fernando Collor (http://portalexame.abril.com.br).Afinal, sabemos que a defesa do verde é uma causa bastante nobre. Porém, independente da faixa de cor do espectro, já tivemos oportunidade e a infelicidade de conhecer a gestão nociva de algumas personalidades políticas do nosso país.


Site: O desafio do pós-desenvolvimentismo
João F. A. S. Maior
2008-04-27 04:10:27

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.