Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 24 de junho de 2022

» Varoufakis: por que a inflação voltou

» A reencarnação prismática do Ulisses

» Poderá a técnica salvar o patriarcado?

» 23 de junho de 2022

» Por que direitos humanos não “pegam” nas polícias

» Erveiros e benzedeiras na linha de cura

» Equador: as razões da nova revolta

» Cinema: Corpo livre, corpo cativo

» 22 de junho de 2022

Rede Social


Edição francesa


» Tunisie : le triple déni des cadres déchus

» L'Ukraine se dérobe à l'orbite européenne

» Le Donbass apprend à vivre sans Kiev

» L'État de droit, une notion faussement neutre

» En Guyane, sous les pavés la Bible

» État d'urgence permanent

» De nouvelles routes pour le pétrole et le gaz

» Donald Trump s'épanouit en chef de guerre

» Le camp d'Hagadera au quotidien

» Les réfugiés, une bonne affaire


Edição em inglês


» June: the longer view

» Putting internal displacement on the map

» The Trans-Amazonian Highway

» Bosnia-Herzegovina: three intertwined histories

» Energy interdependence

» Consider the croissant: a history of food fraud

» Brazil's trans-Amazonian highway of fire and mud

» Fate of a Chinese colony

» Bosnia: coexistence without reconciliation

» Sinn Féin extends its reach to Ireland's South


Edição portuguesa


» Mapeamento de uma arte político-social: "Untitled", de Paula Rego

» Assembleia-Geral da Outro Modo

» O problema da riqueza

» «Sangrar a Rússia»

» Vulnerabilidades territoriais: o que se pode aprender com a crise pandémica?

» O paraíso da inovação militarizada

» Mineração em mar profundo: para quê destruir os fundos oceânicos?

» O lado oculto das cimeiras da Terra

» Viagem ao fim da Transamazónica

» A Finlândia e a Suécia rompem com o ideal nórdico


Comentários sobre esse texto:

Irã, inimigo número um do Ocidente?

A Máfia da Casa Branca não aprende nunca. O tempo passou e o poderio politico-econômico-militar perdeu muito da sua forçae e potencial.
Em 1951, quando da vitória do Mossadegh, um politico nacionalista, nacionalizava a industria do petroleo e deixando as grandes empresas norte-americana revoltadas. O governo dos EUA tomou de imediato providencias, chamou a CIA para organizar o golpe e distribuiu dolares aos milhões,mobilizou a opinião interna e externa, comprou militares e politicos e deu o golpe. O presidente Mossadegh foi deposto e preso e novamente a industria de petroleo entregue aos mafiosos da Casa Branca.
Agora tentam novamente, pensavam que iam ganhar fácil, pois foi distribuidos milhões de dolares com a oposição, perderam. Agora partem para o "golpe branco", desestabilizar politicamente o governo. Vão perder novamente. Tio Sam esquece que o tempos dos golpes passou....


Milton Guimaraes
2009-06-20 17:37:10

Irã, inimigo número um do Ocidente?

Muitos são aqueles que gostam de fazer alardes dramáticos sobre o atual presdente do Irã, como se a retórica impotente do mesmo tivesse a mesma equiparação dos assassinatos, sequestros (prática muito comum dos nazistas!) e do belicismo genocida praticado por Israel. De qualquer forma, o sistema de poder de Israel não precisa de retórica para se sustentar, basta apelar para o fato consumado e para os assassinatos seletivos e outros não tão seletivos (basta verificar os últimos pronunciamentos oficais da ONU e da Cruz Vermelha).

Nos últimos tempos certas autoridade européias que apoiaram as guerras de Bush têm se comportado com imenso cinismo, parece que não aprenderam com os fatos dos últimos meses ou anos. Costumam lavar as mãos para os crimes de Israel e hostilizando o Irã por se tratar do único país a mostrar-se incomodado pela negligência ou indiferença da "comunidade internacional". Resta saber se os críticos mais feroses do Irã gostam ou não sentem constrangimentos ao perfilarem-se junto a figuras como o primeiro-ministro italiano, Sílvio Berlusconi.

Rogério.


Site: Irã, inimigo número um do Ocidente?
Rogério
2009-05-10 03:50:47

Irã, inimigo número um do Ocidente?

Por que o Irã iria jogar míssseis sobre nossas cabeças? Quem tem o hábito de interferir na liberdade e autonomia de outras nações são os EUA e Israel. Quem destrói, rouba e se apodera do que não lhes pertence são os EUA e Israel.


LUNA
2009-04-23 13:37:37

Irã, inimigo número um do Ocidente?

Vejamos: o Ira pode ate nao ser inimigo do Ocidente... no entanto quando um maluco exercendo o poder daquele pais , resolver jogar sua bomba atomica nas nossas cabecas ocidentais, ai nao vai ter argumento teorico que justifique a catastrofe!!!! ( melhor prevenir e nao contemporizar)


arnoldo
2009-04-20 01:12:47

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.