Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 27 de junho de 2022

» Não culpem Moscou pela crise alimentar

» Trabalho: o que a Espanha ganhou ao restaurar direitos

» Pochmann: o que a parceira com a China pode trazer

» “Meu espirito dorme em algum lugar frio”

» 24 de junho de 2022

» Varoufakis: por que a inflação voltou

» A reencarnação prismática do Ulisses

» Poderá a técnica salvar o patriarcado?

» 23 de junho de 2022

Rede Social


Edição francesa


» Occident contre Occident

» Tunisie : le triple déni des cadres déchus

» L'Ukraine se dérobe à l'orbite européenne

» Le Donbass apprend à vivre sans Kiev

» L'État de droit, une notion faussement neutre

» En Guyane, sous les pavés la Bible

» État d'urgence permanent

» De nouvelles routes pour le pétrole et le gaz

» Donald Trump s'épanouit en chef de guerre

» Le camp d'Hagadera au quotidien


Edição em inglês


» June: the longer view

» Putting internal displacement on the map

» The Trans-Amazonian Highway

» Bosnia-Herzegovina: three intertwined histories

» Energy interdependence

» Consider the croissant: a history of food fraud

» Brazil's trans-Amazonian highway of fire and mud

» Fate of a Chinese colony

» Bosnia: coexistence without reconciliation

» Sinn Féin extends its reach to Ireland's South


Edição portuguesa


» Mapeamento de uma arte político-social: "Untitled", de Paula Rego

» Assembleia-Geral da Outro Modo

» O problema da riqueza

» «Sangrar a Rússia»

» Vulnerabilidades territoriais: o que se pode aprender com a crise pandémica?

» O paraíso da inovação militarizada

» Mineração em mar profundo: para quê destruir os fundos oceânicos?

» O lado oculto das cimeiras da Terra

» Viagem ao fim da Transamazónica

» A Finlândia e a Suécia rompem com o ideal nórdico


Comentários sobre esse texto:

Assassinato em Karachi

Concordo plenamente com este comentário acima, as pessoas julgam precipitadamente aquilo que realmente não conhecem somente pelo que ouviram falar. É preciso ter bom senso e inteirar sobre todos os aspectos das situações para não abrir a boca e tão pouco a fala desnecessariamente.
Um doce abraço a todo o povo paquistanês


Cássia Carvalho Saher
2007-01-28 19:43:54

Assassinato em Karachi

Karachi, cidade de trabalho.

Acho um absurdo o que diz o texto apresentado. Estou neste momento nessa cidade em trabalho, onde venho pelo menos uma vez por ano. Convivo c Pakistaneses de Karachi e acho que sao acima de tudo muito trabalhadores apesar da miseria em que vive a maioria, sao sociaveis e depois de os conhecermos melhor ficamos a conhecer uma cultura que está a modernizar-se diariamente e que vão fazer desta cidade uma grande metropole economica da Asia. Lembrem-se que é uma das maiores cidades Asiaticas e a maior do Pakistao e que por isso tem que ter também coisas menos boas. Mas a nova geração vai-se libertando dos Tabus criados pelos seus antecessores , vao tambem criando riqueza. Os terrenos nesta cidade em meia duzia de anos aumentaram cinco vezes, o que diz da prosperidade economica da cidade.
Criou-se o habito de que todos os terroristas passam por aqui, mas é redondamente falso, vejam a ajuda dada nessa materia aos EUA, e a cooperaçao mutua em muitas materias.

Longe vai o tempo em que o Pakistao era um Paiz de analfabetos. Muitos estudam no Reino Unido, outros nos EUA, Alemanha, etc e vao ser os grandes motores da economia Pakistanesa.

Por isso tenham cuidado com o que escrevem, isso leva a que muitas vezes se creiem revoltas que podiam ser evitadas. O que aconteceu c o Jornalista podia ter acontecido noutra cidade qualquer c os mesmos intervenientes.

JL



2006-07-20 22:04:37

Assassinato em Karachi

Karachi, cidade de trabalho.

Acho um absurdo o que diz o texto apresentado. Estou neste momento nessa cidade em trabalho, onde venho pelo menos uma vez por ano. Convivo c Pakistaneses de Karachi e acho que sao acima de tudo muito trabalhadores apesar da miseria em que vive a maioria, sao sociaveis e depois de os conhecermos melhor ficamos a conhecer uma cultura que está a modernizar-se diariamente e que vão fazer desta cidade uma grande metropole economica da Asia. Lembrem-se que é uma das maiores cidades Asiaticas e a maior do Pakistao e que por isso tem que ter também coisas menos boas. Mas a nova geração vai-se libertando dos Tabus criados pelos seus antecessores , vao tambem criando riqueza. Os terrenos nesta cidade em meia duzia de anos aumentaram cinco vezes, o que diz da prosperidade economica da cidade.
Criou-se o habito de que todos os terroristas passam por aqui, mas é redondamente falso, vejam a ajuda dada nessa materia aos EUA, e a cooperaçao mutua em muitas materias.

Longe vai o tempo em que o Pakistao era um Paiz de analfabetos. Muitos estudam no Reino Unido, outros nos EUA, Alemanha, etc e vao ser os grandes motores da economia Pakistanesa.

Por isso tenham cuidado com o que escrevem, isso leva a que muitas vezes se creiem revoltas que podiam ser evitadas. O que aconteceu c o Jornalista podia ter acontecido noutra cidade qualquer c os mesmos intervenientes.

JL


Jorge
2006-07-20 22:01:41

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.