logo

janeiro 2009



LITERATURA

Palavra 53

Mas Alice
Ele, minha Alice, minha primeira Barbie, me olhou como quem faz um favor. Em seguida, arrastou as plataformas até o banheiro e sacou o batom da bolsa
Aqui

“Cidadezinha inglesa no domingo”, de Max Jacob
Nascido em 1876, Max Jacob participou das vanguardas poéticas e artísticas européias, ao lado de Jean Cocteau, Georges Braque e Pablo Picasso
Aqui

A arte de usar o tempo e o espaço a favor da boa literatura Ao notar o vazio editorial e a tendência de crescimento da literatura fantástica, Fábio Fernandes e Jacques Barcia idealizaram a revista “Terra Incognita”
Aqui

Idéias perdidas
No fundo, o único ponto realmente importante na literatura é o exercício da idéia
Aqui


Rodrigo Gurgel

O conto de Neuza Paranhos, “Mas Alice”, é uma peça elaborada em allegro vivace do começo ao fim. Nada escapa à narração ágil, leve – e inesperada.

Leveza – e delicada ironia – é o que encontramos também no poema “Cidadezinha inglesa no domingo”, de Max Jacob, que Pablo Simpson traduz e analisa com perícia.

Fernando S. Trevisan comenta o salutar lançamento da revista Terra Incognita, dedicada exclusivamente a textos de ficção científica.

Literatura enquanto exercício de idéias, sem necessidade de ataques ou defesas – essa é a tese que Renata Miloni propõe em sua crônica.

Boa leitura – e até a próxima semana!

Rodrigo Gurgel, editor de Palavra